Código de Processo Penal Comentado - Ed. 2020

Art. 251 - Capítulo I. Do Juiz

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

TÍTULO VIII

DO JUIZ, DO MINISTÉRIO PÚBLICO, DO ACUSADO E DEFENSOR, DOS ASSISTENTES E AUXILIARES DA JUSTIÇA

Renato Stanziola Vieira 1

BIBLIOGRAFIA GERAL

AKUTSU, José Roberto Coêlho. Condução coercitiva e a necessária reserva de jurisdição. Boletim do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, n. 252, nov. 2013; ALMEIDA, Joaquim Canuto Mendes de. Ação penal: análises e confrontos. São Paulo: Livraria Acadêmica Saraiva, 1938; AROCA, Juan Montero. Principios del proceso penal: una explicación basada en la razón. Valencia: Tirant lo Blanc, 1997; BADARÓ, Gustavo Henrique Righi Ivahy. Ônus da prova no processo penal. São Paulo: Ed. RT, 2003; BADARÓ, Gustavo Henrique Righi Ivahy. Processo penal. 3. ed. São Paulo: Ed. RT, 2015; BARBOSA MOREIRA, José Carlos. Reflexões sobre a imparcialidade do juiz. Temas de direito processual. Quarta série. São Paulo: Saraiva, 1989; BORGES DA ROSA, Inocêncio. Processo penal brasileiro. Porto Alegre: Livraria do Globo, 1942. v. 4; CASARA, Rubens R. R. A imparcialidade do Ministério Público no processo penal brasileiro: um mito a ser desvelado. In: BONATO, Gilson (Org.). Processo penal, Constituição e crítica: estudos em homenagem ao Prof. Dr. Jacinto Nelson de Miranda Coutinho. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011; CAVALCANTI, Themístocles Brandão. A Constituição Federal comentada. Rio de Janeiro: Forense, 1952. v. 3; CHIAVARIO, Mario. Il Pubblico Ministero organo di giustizia? Rivista Italiana di Diritto e Procedura Penale. Milão, a. 14, n. 3, 1971; CHIAVARIO, Mario. Diritto processuale penale: profilo istituzionale. 3. ed. Turim: Utet, 2007; CHOUKR, Fauzi Hassan. Código de Processo Penal. Comentários consolidados & crítica jurisprudencial. 7. ed. Belo Horizonte: D´Plácido, 2017; CINTRA, Antonio Carlos de Araújo; GRINOVER, Ada Pellegrini, DINAMARCO, Cândido Rangel. Teoria geral do processo. 27. ed. São Paulo: Malheiros, 2011; COUTINHO, Jacinto Nelson de Miranda. Sistema acusatório: cada parte no lugar constitucionalmente demarcado. Revista de Informação Legislativa, Brasília, ano 46, n. 183, jul.-set. 2009, p. 103-115; DINAMARCO, Cândido Rangel, Intervenção de terceiros. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2000; DINAMARCO, Cândido Rangel. Litisconsórcio. 8. ed. São Paulo: Malheiros, 2009; DOMINIONI, Oreste. Le parti nel processo penale: profili sistematici e problemi. Milão: Giuffrè, 1985; DOTTI, René Ariel. Suspeição de magistrado. Revista Brasileira de Ciências Criminais. São Paulo, v. 2, p. 125-126, abr.-jun. 1993; ESPÍNOLA FILHO, Eduardo. Código de Processo Penal brasileiro anotado. 6. ed. Rio de Janeiro: Borsoi, 1965. v. 3; FERNANDES, Antonio Scarance. Reação defensiva à imputação. São Paulo: Ed. RT, 2002; GOMES FILHO, Antonio Magalhães. Ministério Público e acusação penal no sistema brasileiro. Pena y Estado: Revista Latinoamericana de Política Criminal. Buenos Aires, n. 2 (El ministério público), 1997, p. 139-151; GRECO FILHO, Vicente. Manual de processo penal. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2009; GRINOVER, Ada Pellegrini; GOMES FILHO, Antonio Magalhães; FERNANDES, Antonio Scarance. As nulidades da ação penal. 11. ed. São Paulo: Ed. RT, 2009; GUARNERI, Giuseppe. Le parti nel processo penale. Milão: Fratelli Bocca, 1949; HAMILTON, Sérgio Demoro. O recurso do assistente do Ministério Público. Revista Síntese de Direito Penal e Processual Penal. Porto Alegre, ano III, n. 16, out.-nov. 2002, p. 22-29; LIMA, Marcellus Polastri. Ministério Público e persecução criminal. 4. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007; LOPES JÚNIOR, Aury. Direito processual penal. 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2012; MALAN, Diogo. Defesa técnica e seus consectários lógicos na Carta Política de 1988. In: PRADO, Geraldo; MALAN, Diogo (Coord.). Processo penal e democracia: estudos em homenagem aos 20 anos da Constituição da República de 1988. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009; MARINONI, Luiz Guilherme; ARENHART, Sérgio Cruz. Curso de processo civil, v. 2: processo de conhecimento. 9. ed. São Paulo: Ed. RT, 2011; MARQUES, José Frederico. Elementos de direito processual penal. 2. ed. rev. e atual. por Eduardo Reale Ferrari. Campinas: Millennium, 2000. v. 2; MAXIMILIANO, Carlos. Comentários à Constituição brasileira. São Paulo: Freitas Bastos, 1948. v. 3; MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários à Constituição de 1946. Rio de Janeiro: Borsoi, 1960. t. 4; MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários à Constituição de 1967, com a emenda n. 1, de 1969. São Paulo: Ed. RT, 1973. t. 4; MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários ao Código de Processo Civil. t. 1 (arts. 1º-45). Rio de Janeiro: Forense, 1974; MOURA, Maria Thereza Rocha de Assis (coord.). As reformas no Código de Processo Penal: as novas leis de 2008 e os projetos de reforma. São Paulo: Ed. RT, 2008; NICOLITT, André. Manual de processo penal. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012; NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Código de Processo Civil comentado. 16. ed. São Paulo: Ed. RT, 2016; NORONHA, Edgard Magalhães. Curso de direito processual penal. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 1972; NUCCI, Guilherme de Souza. Código de Processo Penal comentado. 16. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2017; PACELLI, Eugênio; FISCHER, Douglas. Comentários ao Código de Processo Penal e sua jurisprudência. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2013; PITOMBO, Sérgio Marcos de Moraes. Breves notas sobre o anteprojeto de lei, que objetiva modificar o Código de Processo Penal, no atinente à investigação criminal. In: SHECAIRA, Sérgio Salomão (Org.). Estudos criminais em homenagem a Evandro Lins e Silva: criminalista do século. São Paulo: Método, 2001; PITOMBO, Sérgio Marcos de Moraes. O indiciamento como ato de polícia judiciária. Inquérito policial: novas tendências. Belém: Edições Cejup, 1987; PORTO, Walter Costa. Constituições brasileiras: 1937. Brasília: Senado Federal, 2001. v. 4; SAAD, Marta. O direito de defesa no inquérito policial. São Paulo: Ed. RT, 2004; SABATINI, Giuseppe. Il Pubblico Ministero nel diritto processuale penale. Napoli: Dott; Eugenio Jovene, 1943. v. 2; TAORMINA, Carlo. Il processo di parti di fronte al nuovo regime delle contestazioni e delle letture dibattimentali. La Giustizia Penale, Roma, III, s. 7, a. 97, n. 8-9, ago.-set. 1992; TORNAGHI, Hélio. Instituições de processo penal. Rio de Janeiro: Forense, 1959. v. 3; TORNAGHI, Hélio. A relação processual penal. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1985; TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo penal. 20. ed. São Paulo: Saraiva, 1998. v. 2; TUCCI, Rogério Lauria. Teoria do direito processual penal: jurisdição, ação e processo penal (estudo sistemático). São Paulo: Ed. RT, 2002; VIEIRA, Renato Stanziola. Ainda, investigação criminal direta do Ministério Público: poder implícito ou limite implícito? Proposta de novo enfoque. Boletim do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. São Paulo, n. 199, jun. 1999, p. 11-12; VIEIRA, Renato Stanziola. Direito ao intérprete e ao tradutor como corolário do justo processo penal. Revista Brasileira de Ciências Criminais, n. 77, São Paulo: Ed. RT, mar.-abr. 2009, p. 141-74; VIEIRA, Renato Stanziola. Paridade de armas no processo penal. Brasília: Gazeta Jurídica, 2014; VILARES, Fernanda Regina. Processo penal: reserva de jurisdição e CPI’s. São Paulo: Ed. Ônix Jur, 2012; XAVIER DE ALBUQUERQUE, Francisco Manoel. A assistência no processo penal...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
1 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1139010117/art-251-capitulo-i-do-juiz-codigo-de-processo-penal-comentado-ed-2020