Leis Processuais Civis Comentadas e Anotadas - Ed. 2019

Art. 16 - Lei N. 7347, de 24 de Julho de 1985 (Lacp)

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Art. 16. A sentença civil fará coisa julgada 1 a 3 erga omnes,4 e 5 nos limites da competência territorial do órgão prolator, exceto se o pedido for julgado improcedente por insuficiência de provas, hipótese em que qualquer legitimado poderá intentar outra ação com idêntico fundamento, valendo-se de nova prova.6 a 16 (Redação dada pela L 9494/97 2.º)

• 1. Revogação. A norma está revogada. Quanto à coisa julgada na ACP, vigora o regime instituído pelo CDC 103. V., abaixo, coment. 14 LACP 16. Sobre a coisa julgada nas ações coletivas em geral, v. coments. CDC 103.

• 2. Coisa julgada. Coisa julgada, ou autoridade da coisa julgada (auctoritas rei iudicatae), ou, ainda, coisa julgada material, é a qualidade que torna imutável e indiscutível o comando que emerge da parte dispositiva da sentença de mérito não mais sujeita a recurso ordinário ou extraordinário (CPC 502; LINDB 6.º § 3.º) nem à remessa necessária do CPC 496 (STF 423). A preclusão da sentença tem sido chamada de coisa julgada formal. V. coment. CDC 103.

• 3. Limites objetivos da coisa julgada. Somente a parte dispositiva da sentença, acolhendo ou rejeitando, total ou parcialmente, o pedido do autor, é abrangida pela autoridade da coisa julgada (CPC 502 e 503 caput). A resolução de questão prejudicial, bem como os motivos, ainda que importantes para determinar o alcance da parte dispositiva da sentença, não são abrangidos pela coisa julgada, a menos que da sua resolução dependa o julgamento do mérito, a seu respeito tenha havido contraditório prévio e efetivo e o juiz tenha competência em razão da matéria e da pessoa para resolvê-la como principal, e desde que não tenham ocorrido restrições probatórias ou limitações à cognição que impeçam o aprofundamento da análise da prejudicial (CPC 503 §§ 1.º e 2.º). Para que se aumente o limite de abrangência da coisa julgada para além do dispositivo, alcançando também a decisão sobre a questão prejudicial de mérito, não é mais preciso que a parte tenha ajuizado ação declaratória incidental (v. Nery-Nery. CPC Comentado 16, coment. 7 CPC 503). V. CPC 503. V. coment. CDC 103.

• 4. Limites subjetivos da coisa julgada. No processo civil ortodoxo, a coisa julgada não favorece nem beneficia terceiros, alcançando somente as partes entre as quais foi dada a sentença de mérito (CPC 506). Nas ações coletivas, entretanto, a solução não atende às necessidades próprias dos conflitos coletivos, de sorte que a LACP criou, a exemplo do que dispõe a LAP 18, um sistema diferenciado de limites subjetivos da coisa julgada: o da eficácia erga omnes do comando da sentença de mérito. V. CPC 506. V. coment. CDC 103.

• 5. Coisa julgada erga omnes. O efeito erga omnes da...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
1 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1153056432/art-16-lei-n-7347-de-24-de-julho-de-1985-lacp-leis-processuais-civis-comentadas-e-anotadas-ed-2019