Novo Curso de Processo Civil - Volume 1 - Edição 2017

Novo Curso de Processo Civil - Volume 1 - Edição 2017

Novo Curso de Processo Civil - Volume 1 - Edição 2017

Novo Curso de Processo Civil - Volume 1 - Edição 2017

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AARNIO, Aulis. Lo racional como razonable. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1991.

_____. The Rational as Reasonble – A Treatise on Legal Justification. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1987.

ABREU, Leonardo Santana de. Direito, ação e tutela jurisdicional. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011.

ABREU, Rafael Sirangelo De . Igualdade e Processo – Posições Processuais Equilibradas e Unidade do Direito. São Paulo: Ed. RT, 2015.

ACKERMAN, Bruce A. We the people: foundations. Cambridge: Harvard University Press, 1991. vol. 1.

ADAMY, Pedro. Renúncia a direito fundamental. São Paulo: Malheiros, 2011.

ADLER, Mattheu. Rights against rules: the moral structure of American constitutional law. Michigan Law Review, Michigan, Michigan University Press, vol. 97, n. 1, 1998.

AGRA, Walber de Moura. A reconstrução da legitimidade do Supremo Tribunal Federal. Rio de Janeiro: Forense, 2005.

AGUIAR JÚNIOR, Ruy Rosado de. Comentários ao novo Código Civil. Rio de Janeiro: Forense, 2011, vol. VI, t. II.

ALEXANDER, Larry. Tudo ou nada? As intenções das autoridades e a autoridade das intenções. In: MARMOR, Andrei (coord.). Direito e interpretação. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

ALEXY, Robert. Balancing, constitutional review and representation. International Journal of Constitutional Law, Oxford, Oxford Journals, vol. 3, n. 4, 2005.

_____. Constitutional rights, balancing and rationality. Ratio Juris, Oxford, Blackwell, vol. 16, n. 2, 2003.

_____. Epílogo a la teoría de los derechos fundamentales. Madrid: Fundación Beneficentia et Peritia Iuris, 2004.

_____. Los derechos fundamentales en el estado constitucional democrático. Los fundamentos de los derechos fundamentales. Madrid: Trotta, 2001.

_____. Teoria da argumentação jurídica. São Paulo: Landy, 2001.

_____. Teoría del discurso y derechos humanos. Bogotá: Universidad Externado de Colombia, 1995.

_____. Teoría de los derechos fundamentales. Madrid: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales, 2002.

_____. The special case thesis. Ratio Juris, Oxford, Blackwell, vol. 12, n. 4, 1999.

_____. “Zum Begriff des Rechtsprinzips”, Argumentation und Hermeneutik in der Jurisprudenz, Rechtstheorie, 1979.

_____. Theorie der juristischen Argumentation. Frankfurt im Main: Suhrkamp, 1983.

_____. Theorie der Grundrechte. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1986.

_____. Teoria dos direitos fundamentais. Trad. Virgílio Afonso da Silva. São Paulo: Malheiros, 2008.

_____; BULYGIN, Eugenio. La pretensión de corrección del derecho. Bogotá: Universidad Externado de Colombia, 2001.

ALISTE SANTOS, Tomas­Javier. La motivación de las resoluciones judiciales. Madrid: Marcial Pons, 2011.

ALPA, Guido. Trattato di diritto civile – Storia, fonti, interpretazione. Milano: Giuffrè, 2000. vol. I.

ALSINA, Hugo. Tratado teórico­práctico de derecho procesal civil y comercial. 2. ed. Buenos Aires: Ediar, 1956.

ALVARO DE OLIVEIRA, Carlos Alberto. A garantia do contraditório. Do formalismo no processo civil. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

_____. Do formalismo no processo civil – Proposta de um formalismo­valorativo. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

_____. Efetividade e processo de conhecimento. Do formalismo no processo civil. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

_____. O juiz e o princípio do contraditório. RePro. São Paulo: Ed. RT, 1993. n. 71.

_____. Os direitos fundamentais à efetividade e à segurança em perspectiva dinâmica. Revista Forense. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

_____. Poderes do juiz e visão cooperativa do processo. Revista da Ajuris. n. 90. Porto Alegre.

_____. Procedimento e ideologia no direito brasileiro atual. Ajuris. n. 33. Porto Alegre, 1985.

_____. Teoria e prática da tutela jurisdicional. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

_____ (coord.). A nova execução. Rio de Janeiro: Forense, 2005.

_____ (coord.). A nova execução de títulos extrajudiciais. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

ALVARO DE OLIVEIRA, Carlos Alberto; MITIDIERO, Daniel. Curso de processo civil. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2012. vol. I.

ALVES, Francisco Glauber Pessoa. O princípio jurídico da igualdade e o processo civil brasileiro. Rio de Janeiro: Forense, 2003.

AMAR, Akhil Reed. Intratextualism. Harvard Law Review, Cambridge, Harvard University Press, vol. 112, 1999.

AMARAL, Francisco. Direito civil – Introdução. 7. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

AMARAL, Guilherme Rizzo. A polêmica em torno da ação de direito material. Revista de Direito Processual Civil, v. 33, Curitiba, Genesis, 2004.

AMARAL, Paulo Osternack. Provas – Atipicidade, liberdade e instrumentalidade. São Paulo: Ed. RT, 2015.

AMENDOEIRA JÚNIOR, Sidnei. Fungibilidade de meios. São Paulo: Atlas, 2008.

ANDOLINA, Italo. “Cognizione” ed “esecuzione forzata” nel sistema della tutela giurisdizionale. Milano: Giuffrè, 1983.

_____; VIGNERA, Giuseppe. Il modello costituzionale del processo civile italiano. Torino: Giappichelli, 1990.

ANDRADE, José Carlos Vieira de. Os direitos fundamentais (na Constituição portuguesa de 1976). Coimbra: Almedina, 2001.

_____. Os direitos, liberdades e garantias no âmbito das relações entre particulares. In: SARLET, Ingo Wolfgang (org.). Constituição, direitos fundamentais e direito privado. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2003.

ANDREWS, Neil. Andrews on civil procedure – Court proceedings. Cambridge: Intersentia, 2013. vol. I.

ANGELATS, Lluís Caballol. El tratamiento procesal de la excepción de arbitraje. Barcelona: Bosch, 1997.

APPIO, Eduardo Fernando. Interpretação conforme a constituição. Curitiba: Juruá, 2002.

APRIGLIANO, Ricardo. Ordem pública e processo. São Paulo: Atlas, 2011.

ARAGONESES, Pedro; GUASP, Jaime. Derecho procesal civil Parte general. 7. ed. Navarra: Thomson­Civitas, 2005.

ARENHART, Sérgio Cruz. A prisão civil como meio coercitivo. In: TESHEINER, José; MILHORANZA, Mariângela Guerreiro; PORTO, Sérgio Gilberto (coords.). Instrumentos de coerção e outros temas de direito processual civil – Estudos em homenagem aos 25 anos de docência do Professor Dr. Araken de Assis. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

_____. A tutela coletiva de interesses individuais. São Paulo: Ed. RT, 2013.

_____. A tutela inibitória da vida privada. São Paulo: Ed. RT, 2000.

_____. Perfis da tutela inibitória coletiva. São Paulo: Ed. RT, 2003.

_____. Reflexões sobre o princípio da demanda. In: FUX, Luiz; NERY JUNIOR, Nelson; WAMBIER, Teresa Arruda Alvim (coords.). Processo e Constituição – Estudos em Homenagem ao Professor José Carlos Barbosa Moreira. São Paulo: Ed. RT, 2006.

_____. Tutela inibitória da vida privada. São Paulo: Ed. RT, 2000.

_____; MARINONI, Luiz Guilherme. Prova. 2. ed. São Paulo: Ed. RT, 2011.

_____ ; MARINONI, Luiz Guilherme. Prova e Convicção, 3. ed. São Paulo: Ed. RT, 2015.

_____; MARINONI, Luiz Guilherme. Processo de conhecimento. 6. ed. São Paulo: Ed. RT, 2007 (Curso de processo civil, vol. 2).

ARENS, Peter. Prozessrecht und materielles Recht. AcP, Tübingen, Mohr Siebeck, vol. 173, 1973.

ARGÜELLES, Juan Ramón de Páramo; ROIG, Francisco Javier Ansuátegui. Los derechos en la Revolución Inglesa. Historia de los derechos fundamentales. Trânsito a la modernidad: siglos XVI y XVII. t. 1, Madrid: Dykinson, 2003.

ARRUDA ALVIM, José Manoel. Manual de direito processual civil. São Paulo: Ed. RT, 2003. vol. 1.

ARONNE, Ricardo. Sistema jurídico e unidade axiológica: os contornos metodológicos do direito civil­constitucional. Direito civil­constitucional e teoria do caos – Estudos preliminares. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2006.

ASCENSÃO, José de Oliveira. Direito civil – Teoria geral. 2. ed. Coimbra: Coimbra, 2003. vol. II.

ASSIS, Araken de. Processo Civil Brasileiro. São Paulo: Ed. RT, 2015, vol. II, tomo I.

ATIENZA, Manuel. El derecho como argumentación. Barcelona: Ariel, 2012.

ATTARDI, Aldo. Preclusione (principio di). Enciclopedia del Diritto. Milano: Giuffrè, 1985. vol. XXXIV.

AUSTIN, John. The Uses of the Study of Jurisprudence (1863), in The Province of Jurisprudence Determined and The Uses of the Study of Jurisprudence, com introdução de Herbert Hart. Indianapolis: Hackett, 1998.

AVILA, Ana Paula. A modulação de efeitos temporais pelo STF no controle de constitucionalidade. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

ÁVILA, Humberto. A distinção entre princípios e regras e a redefinição do dever de proporcionalidade. Revista de Direito Administrativo. Rio de Janeiro: Renovar, 1999. vol. 215.

_____. Função da ciência do direito tributário: do formalismo epistemológico ao estruturalismo argumentativo. Revista Direito Tributário Atual. . n. 29. São Paulo: Dialética, 2013.

_____. O que é devido processo legal? RePro. n. 163. São Paulo: Ed. RT, 2008.

_____. Segurança jurídica. São Paulo: Malheiros, 2011.

_____. Sistema Constitucional Tributário. São Paulo: Saraiva, 2004.

_____. Teoria da igualdade tributária. São Paulo: Malheiros, 2008.

_____. Teoria dos princípios – Da definição à aplicação dos princípios jurídicos. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2003.

_____. Teoria dos princípios. 15. ed. São Paulo: Malheiros, 2014.

AZEVEDO, Luiz Carlos; CRUZ E TUCCI, José Rogério. Lições de história do processo civil romano. 1. ed., 2. tir. São Paulo: Ed. RT, 2001.

BACHOF, Otto. Jueces y constitución. Madrid: Taurus, 1963.

BANDEIRA DE MELLO, Celso Antônio. O conteúdo jurídico do princípio da igualdade. 3. ed. São Paulo: Malheiros, 1999.

_____. Curso de direito administrativo. 25. ed. São Paulo: Malheiros, 2008.

BANDRAC, Monique. L’action en justice, droit fondamental. Nouveaux juges, nouveaux pouvoirs? Mélanges en l’honneur de Roger Perrot. Paris: Dalloz, 1996.

BANKOWSKI, Zenon; MACCORMICK, Neil; MORAWSKI, Lech; MIGUEL, Alfonso Ruiz. Rationales for precedent. In: Interpreting precedents; a comparative study. London: Dartmouth, 1997.

BARBI, Celso Agrícola. Do mandado de segurança. Rio de Janeiro: Forense, 1966.

BARBOSA, Ana Paula Costa. A legitimação dos princípios constitucionais fundamentais. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

BAPTISTA DA SILVA, Ovídio Araújo. Jurisdição e execução na tradição romano­canônica. 2. ed. São Paulo: Ed. RT, 1997.

_____. Processo e ideologia – O paradigma racionalista. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

_____. Curso de processo civil. 5. ed. São Paulo: Ed. RT, 2000. vol. I.

BAPTISTA DA SILVA, Ovídio Araújo; GOMES, Fábio Luiz. Teoria geral do processo. 6. ed. São Paulo: Ed. RT, 2011.

BARBOSA MOREIRA, José Carlos. A tutela específica do credor nas obrigações negativas. Temas de direito processual2.ª série. São Paulo: Saraiva, 1980.

_____. Os poderes do juiz na direção e na instrução do processo. Temas de direito processual4.ª série. São Paulo: Saraiva, 1989.

_____. Sobre a “participação” do juiz no processo civil. Participação e processo. São Paulo: Ed. RT, 1988.

_____. Tutela sancionatória e tutela preventiva. Temas de direito processual2.ª série. São Paulo: Saraiva, 1980.

_____. A motivação das decisões judiciais como garantia inerente ao Estado de Direito. Temas de direito processual. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1988. Segunda Série.

_____. O processo civil contemporâneo: um enfoque comparativo. Temas de direito processual. São Paulo: Saraiva, 2007. Nona Série.

_____. O problema da “divisão do trabalho” entre juiz e partes: aspectos terminológicos. Temas de direito processual. São Paulo: Saraiva, 1989. Quarta Série.

_____. Provas atípicas. RePro. n. 76. São Paulo: Ed. RT, 1994.

_____. Privatização do processo? Temas de direito processual. São Paulo: Saraiva, 2001. Sétima Série.

_____. O neoprivatismo no processo civil. Temas de direito processual. São Paulo: Saraiva, 2007, Nona Série.

BARCELLOS, Ana Paula de. A eficácia jurídica dos princípios constitucionais. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

BARREIROS, Lorena. Fundamentos constitucionais do princípio da cooperação processual. Salvador: JusPodium, 2013.

BARROS, Suzana de Toledo. O princípio da proporcionalidade e o controle da constitucionalidade das leis restritivas de direitos fundamentais. Brasília: Brasília Jurídica, 1996.

BARROSO, Luís Roberto. Fundamentos teóricos e filosóficos do novo direito constitucional brasileiro (pós­modernidade, teoria crítica e pós­positivismo). In: _____ (org.). A nova interpretação constitucional. Rio de Janeiro: Renovar, 2003.

_____. Interpretação e aplicação da Constituição. São Paulo: Saraiva, 1996.

_____. O direito constitucional e a efetividade de suas normas. 4. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2000.

_____. Curso de Direito Constitucional Contemporâneo. São Paulo: Saraiva, 2009.

BARRY, Friedman. The history of the countermajoritarian …

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
7 de Julho de 2022
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1188258444/referencias-bibliograficas-novo-curso-de-processo-civil-volume-1-edicao-2017