Crimes de Perigo Abstrato - Ed. 2019

Bibliografia

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

AGUADO CORREA, Teresa. El principio e proporcionalidad en derecho penal. Madrid: Edersa, 1999.

AGUIRRE OBARRIO, Eduardo. Segundo paseo con el peligro. Cuadernos de Doctrina y Jurisprudencia Penal, Buenos Aires, vol. 3, fasc. 4/5, p. 57-81, mar. 1997.

ALBRECHT, Peter-Alexis. El derecho penal en la intervención de la política populista. In: ROMEO CASABONA, Carlos Maria. La insostenible situación del derecho penal. Granada: Comares, 2000. p. 471-487.

ALCÁCER GUIRAO, Rafael. Enjuiciamiento del peligro, tentativa y delitos de peligro. Cuadernos de Doctrina y Jurisprudencia Penal, Buenos Aires, vol. 5, fasc. 9 A, p. 415-464, set. 1999.

ALFLEN DA SILVA, Pablo Rodrigo. A problemática das leis penais em branco em face do direito penal do risco. In: CARVALHO, Salo de. Leituras constitucionais do sistema penal contemporâneo. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2004. p. 21-46.

______. Aspectos críticos do direito penal na sociedade do risco. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, n.46, p. 73-93, jan.-fev. 2004.

ALVES, Alaôr Caffé. Fundamentos do direito e meio ambiente. In: ALVES, Alaôr Caffé; PHILIPPI JR., Arlindo (Org.). Curso interdisciplinar de direito ambiental. Barueri-SP: Manole, 2004. p. 297-357.

______. Linguagem, sentido e realidade da norma jurídica: dialética da norma jurídica. Tese de livre docência. São Paulo: Departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito da Faculdade de Direito da USP, 1996.

ALVES, Wagner Antônio. Princípios da precaução e da prevenção no direito ambiental brasileiro. Rio de Janeiro: Juarez de Oliveira, 2005.

ANGIONI, Francesco. Il pericolo concreto come elemento della fattispecie penale e la struttura oggetiva. 2. ed. Milano: Giuffrè, 1994.

ANTOLISEI, Francesco. Manuale di diritto penale. Parte generale. 12. ed. A cura di Luigi Conti. Milano: Giuffrè, 1991.

ARCE VÍQUEZ, Jorge Luis, CHIRINO SÁNCHEZ, Alfredo. Los problemas de la política criminal del peligro: consideraciones en torno a la punibilidad de los llamados “actos preparatorios” como delitos independientes. Nueva Doctrina Penal, Buenos Aires, p. 3-54, 1999.

BACIGALUPO, Enrique. Compliance y derecho penal. Buenos Aires: Hannurabi, 2012.

BARATTA, Alessandro. Funções instrumentais e simbólicas do direito penal: lineamentos de uma teoria do bem jurídico. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, fasc. 5, p. 5-24, jan.-mar. 1994.

______. Integración-prevención: una “nueva” fundamentación y la pena dentro de la teoria sistemica. Doctrina penal: teoria y practica en las ciencias penales, Buenos Aires, ano 08, n. 29-32, p. 3-26, 1985.

BARBERO SANTOS, Marino. Contribución al estudio de los delitos de peligro abstracto. Anuario de Derecho Penal y Ciencias Penales, Madrid, vol. 26, fasc. 3, p. 487-500 set.-dez. 1973.

BARJA DE QUIROGA, Jacobo López. El moderno derecho penal para una sociedad de riesgos. Revista del Poder Judicial, Madrid, n. 48, p. 289-321, 1997.

BARROS-PLATIAU, Ana Flávia, VARELLA, Marcelo Dias. O princípio de precaução e sua aplicação comparada nos regimes da diversidade biológica e de mudanças climáticas. Revista de Direitos Difusos, São Paulo, vol. 12, Bioética e Biodiversidade, p. 1.587-1.596, abr. 2002.

BAUMANN, Zygmunt. Legisladores e intérpretes. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

BECCARIA, Cesare. Dei delitti e delle pene. A cura di F. Cambi. Roma: Armando, 1998.

BECHARA, Ana Elisa Liberatore. Da teoria do bem jurídico. Tese de livre docência; São Paulo: 2012.

BECK, Ulrich, La sociedad del riesgo. Barcelona: Paidós, 1998.

______. La sociedad del riesgo global. Madrid: Siglo XXI de España, 2001.

BERNSTEIN, Peter L. Desafio aos deuses: a fascinante história do risco. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

BIANCHI, Eliza. Criminal compliance sob a ótica do estudo do risco. Disponível em: http://jus.com.br/revista/texto/18901/criminal-compliance-sobaotica-do-estudo-do-risco .

BIANCHINI, Alice. Pressupostos materiais mínimos da tutela penal. São Paulo: RT, 2002.

BORÉM, Aluízio; SANTOS, Fabrício Rodrigues dos; ALMEIDA, Marica Rogéria de. Biotecnologia de A a Z. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2003.

BOTTINI, Pierpaolo Cruz. O paradoxo do risco e a política criminal contemporânea, in. Direito penal contemporâneo. São Paulo: Saraiva, 2011. (Orgs.: MENDES, Gilmar Ferreira; PACELLI, Eugenio e BOTTINI, Pierpaolo Cruz).

______. Lavagem de dinheiro. São Paulo: Ed. RT, 2012.

BROCCA, Alberto. Osservazioni sul rilievo del pericolo nella struttura del reato. La scuola positiva. Rivista di Criminologia e Diritto Criminale, Milano, IV serie, anno XIII, fasc. 1, p. 541-550, 1971.

BUCCI, Eugênio; KEHL, Maria Rita. Videologias. São Paulo: Boitempo, 2004.

BÜHLER, Gisele Borghi; FIGUEIREDO, Guilherme José Purvin de. O direito ambiental face à telefonia móvel: aplicação concreta do princípio da precaução. Revista de Direitos Difusos, São Paulo, vol. 3, Poluição Eletromagnética, p. 303-314, out. 2000.

BUONICORE, Bruno Tadeu. Criminal compliance como gestão de riscos empresariais. In: Boletim IBCCRIM 234, maio/2012.

BUSTOS RAMÍREZ, Juan. Control social y sistema penal. Barcelona: PPU, 1987.

______. Introducción al derecho penal. 2. ed. Santa Fe de Bogotá: Temis, 1994.

CABEZAS CHAMORRO, Sebastián; TAIBI, Pietro Sferrazza. Derecho penal de riesgos. Manutención de princípios del derecho penal clasico o liberal vs. Solución de conflictos de las modernas sociedades. Disponível em http://www.carlosplasma.com.ar/sebastianchamo.htm . Acesso em: 11 out. 2005.

CAMARGO, Antonio Luís Chaves. Culpabilidade e reprovação penal. São Paulo: Sugestões Literárias, 1994.

______. Imputação objetiva e direito penal brasileiro. São Paulo: Cultural Paulista, 2001.

______. Sistema de penas, dogmática jurídico-penal e política criminal. São Paulo: Cultural Paulista, 2002.

______. Tipo penal e linguagem. Rio de Janeiro: Forense, 1982.

CANCIO MELIÁ, Manuel. Conducta de la víctima e imputación objetiva en derecho penal: estudio sobre los ámbitos de responsabilidad de víctima y autor en actividades arriesgadas. Barcelona: Bosch, 1998.

CANDELORO, Ana Paula P.; RIZZO, Maria Balbina Martins de, PINHO, Vinicius. Compliance 360.º. São Paulo: Trevisan, 2012.

CARBONELL MATEU, Juan Carlos. Breves reflexiones sobre la tutela de los llamados intereses difusos. Cuadernos de Derecho Judicial, Madrid, n. 36, p. 0-22, 1994.

CARO CORIA, Dino Carlos. “Sociedades de riesgo”, bienes juridicos colectivos y reglas concursales para la determinación de la pena en los delitos de peligro con verificación de resultado lesivo. Revista Peruana de Ciencias Penales, Lima, ano V, n. 9, p. 177-219, 1999.

CASABONA, Carlos Maria Romeo. Aprotaciones del principio de precaucion al derecho penal. In Principio de precaucion, biotecnologia y derecho, org. Carlos Maria Romeo Casabona. Bilbao-Granada: Comares, 2004.

CASTALDO, Andrea R. La concretizzazione del rischio giuridicamente rilevante. Rivista italiana di Diritto e Procedura Penale, Milano, 38, p. 1.096-1.103, 1995.

CEFIC, European Chemical Industry Council. Precautionary principle. The precautionary principle, industry and law-making. Position paper. Disponível em: http://www.cefic.be/position/sec/pp_sec05.htm . Acesso em: 11 jan. 2006.

CEREZO MIR, José. Curso de derecho penal espanhol: parte general. Madrid: Tecnos, 2001.

CEZAR, F. G., ABRANTES, P. C. C. Princípio da precaução: considerações epistemológicas sobre o princípio e sua relação com o progresso de análise do risco. Cadernos de Ciência e Tecnologia, Brasília, vol. 20, n. 2, p. 225-262, maio-ago. 2003.

CHOCLÁN MONTALVO, José Antonio. Imputación objetiva e imputación dolosa de la lesión o puesta em peligro del bien jurídico (sobre la STS 27 de junio de 1995). Revista del Poder Judicial, Madrid, n. 39, p. 507-523, set. 1995.

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE O RECURSO AO PRINCÍPIO DA PRECAUÇÃO, Comissão das Comunidades Europeias, Bruxelas, 02 de fevereiro de 2002, COM (2000) 1 final. Disponível em: http://europa.eu.int/comm/dgs/health_consumer/library/press/press38_pt.html . Acesso em: 11 jan. 2006.

CONTRERA, Malena Segura. Mídia e pânico. Saturação da informação, violência e crise cultural na mídia. São Paulo: Fapeso, 2002.

CONVENÇÃO SOBRE A DIVERSIDADE BIOLÓGICA, Ministério do Meio Ambiente – MMA, Secretaria de Biodiversidade e Florestas – Programa Nacional de Conservação de Biodiversidade, Cópia do Decreto Legislativo n. 02, de 5 de junho de 1992, Brasília – DF, 2000.

CORCOY BIDASOLO, Mirentxu. Delitos de peligro y protección de bienes jurídico-penales supraindividuales. Valencia: Tirant lo Blanch, 1999.

CORIGLIANO, Mario Eduardo. La frontera de lo punible en el derecho penal. Disponível em: http://www.monografias.com/trabajos21/delitos-de-peligro/delitos-de-peligro.shtml . Acesso em 23 jun. 2005.

CORNEJO, Juan J. Cernusco; DALMA, Gustavo A. Principales enfoques del funcionalismo sistémico en la interpretación de la norma penal. Disponível em: http://derechonatural.tripod.com/ponencias/cernuscodalma.htm . Acesso em 23 jun. 2005.

CORREAS, Óscar. Crítica da ideologia jurídica: ensaio sócio-semiológico. Porto Alegre: Fabris, 1995.

COSTA JR., Paulo José da. Direito penal ecológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1996.

CREUS, Carlos. Garantismo vs. funcionalismo? Nueva Doctrina Penal, Buenos Aires, fasc. B, p. 609-623, 1997.

CRUZ, Ana Paula Fernandes Nogueira da. Os crimes de perigo e a tutela preventiva do meio ambiente. Justitia, São Paulo, vol. 189/192, p. 109-121, jan. 2000.

CUESTA AGUADO, Paz M. de la. Causalidad de los delitos contra el médio ambiente. Valencia: Tirant lo Blanch, 1999.

______. Norma primária y bien jurídico: su incidencia en la configuración del injusto. Revista de Derecho Penal y Criminologia, Universidad Nacional de Educación a Distancia, Facultad de Derecho, Madrid, n. 06, p. 137-191, 1996.

______. Tipicidad e imputación objetiva. Valencia: Tirant lo Blanch, 1996.

D’AVILA, Fabio Roberto. O ilícito penal nos crimes ambientais. Algumas reflexões sobre a ofensa a bens jurídicos e os crimes de perigo abstrato no âmbito do direito penal ambiental. Revista Brasileira de Ciências Criminais. Ano 15, n. 67.

DALLARI, Sueli Gandolfi. O princípio da precaução: dever do Estado ou protecionismo disfarçado? Reflexões sobre a saúde pública na era do livre...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
4 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1197015263/bibliografia-crimes-de-perigo-abstrato-ed-2019