Direito ao Esquecimento – Ed. 2020

Referências Bibliográficas

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

ANDRADE, Norberto Nuno Gomes de. Oblivion: The Right to Be Different from Oneself - Reproposing the Right to Be Forgotten. SSRN Scholarly Paper. Rochester, NY: Social Science Research Network, 1o de fevereiro de 2012. Disponível em: https://papers.ssrn.com/abstract=2033155 . [acesso em 24 de dezembro de 2019].

ANTONELO PEREIRA, Leandro Michel. O Comity e a Proteção Internacional das Obras de Arte. Dissertação de Mestrado em Direito. Porto Alegre: UFRGS, 2012. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/56638 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

ARENDT, Hannah. The Human Condition. 2nd ed. Chicago: University of Chicago Press, 1998.

ARTICLE 29. Parecer 1/2008 sobre questões de protecção dos dados ligadas aos motores de pesquisa (WP 148). Disponível em: https://ec.europa.eu/justice/article-29/documentation/opinion-recommendation/files/2008/wp148_pt.pdf [acesso em 24 de dezembro de 2019].

ARTICLE 29. Parecer 4/2007 sobre o conceito de dados pessoais (WP 136). Disponível em: https://ec.europa.eu/justice/article-29/documentation/opinion-recommendation/files/2007/wp136_pt.pdf [acesso em 24 de dezembro de 2019].

ARTICLE 29. Working Document setting up a table with the elements and principles to be found in Binding Corporate Rules. Disponível em: https://ec.europa.eu/justice/article-29/documentation/opinion-recommendation/files/2008/wp153_en.pdf [acesso em 24 de dezembro de 2019].

ARTICLE 29. Guidelines On The Implementation Of The Court Of Justice Of The European Union Judgment On “Google Spain And Inc V. Agencia Española De Protección De Datos (Aepd) And Mario Costeja González” C-131/12. 26 de novembro de 2014. WP 225. Disponível em: https://ec.europa.eu/justice/article-29/documentation/opinion-recommendation/files/2014/wp225_en.pdf [acesso em 24 de dezembro de 2019].

AUSLOOS Jef, The 'Right to Be Forgotten' - Worth Remembering? Computer Law & Security Review, Volume 28, Issue 2, April 2012, Pages 143-152. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=1970392 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

AUSLOOS, Jef. The Right to Be Forgotten - It’s about Time, or Is It?, Tech, Policy & Society. 2014. Disponível em: https://jefausloos.wordpress.com/2014/01/24/the-right-to-be-forgotten-its-about-time-or-is-it/ [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BAKER, C. Edwin. Human Liberty and Freedom of Speech. New York: Oxford University Press, 1989.

BAETS, Antoon de. Responsible History. New York/Oxford: Berghahn, 2009.

BAETS, Antoon De. A historian's view on the right to be forgotten. International Review of Law, Computers & Technology, 30:1-2, 57-66, 2016.

BALKIN, Jack M. Old School/New School Speech Regulation. SSRN Scholarly Paper. Rochester, NY: Social Science Research Network, 6 de maio de 2014. Disponível em: http://papers.ssrn.com/abstract=2377526 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BARROSO, Luis Roberto. Colisão entre Liberdade de Expressão e Direitos da Personalidade. Critérios de Ponderação. Interpretação Constitucionalmente Adequada do Código Civil e da Lei de Imprensa. Revista de Direito Administrativo 235 (3 de fevereiro de 2015): 1. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rda/article/view/45123 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BENKLER, Yochai. The Wealth of Networks: how social production transform markets and freedom. New Haven and London: Yale University Press, 2006.

BENNETT, Colin. Regulating privacy. Data protection and public policy in Europe and the United States, Ithaca and London: Cornell University Press, 1992.

BENTHAM, Jeremy. Panopticon: or the Inspection House. Dublin: 1791.

BERNAL, Paul Alexander. A Right to Delete? European Journal of Law and Technology 2, no 2 (7 de setembro de 2011). Disponível em: http://ejlt.org/article/view/75 . [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BERTRAM, Theo, et al. . Three Years of the Right to Be Forgotten, Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1H4MKNwf5MgeztG7OnJRnl3ym3gIT3HUK/view [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BIASIOTTI, Maria Angela; FARO, Sebastiano. The Italian Perspective of the Right to Oblivion. International Review of Law, Computers & Technology 30, no 1–2 (2 de janeiro de 2016): 5–16. Disponível em https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13600869.2015.1125159 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BIONI, Bruno Ricardo; LIMA, Cíntia Rosa Pereira de. Autodeterminação informacional: paradigmas inconclusos entre a tutela dos direitos da personalidade, a regulação dos bancos de dados eletrônicos e a arquitetura da internet. 2016. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

BIONI, Bruno; MONTEIRO, Renato Leite. O papel do Data Protection Officer. Por que o Brasil precisa formar profissionais em proteção de dados pessoais. JOTA. 04 de dezembro de 2017. Disponível em: https://www.jota.info/opiniaoeanalise/colunas/agenda-da-privacidadeeda-proteçâo-de-dados/o-papel-do-data-protection-officer-04122017 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BIRNHACK, Michael D., The EU Data Protection Directive: An Engine of a Global Regime (September 16, 2008). 24 (6) Computer Law & Security Report, 508-520 (2008). Disponível em: https://ssrn.com/abstract=1268744 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BITTAR. Carlos Alberto. Os Direitos da Personalidade. 2ª Ed. Revista e Atualizada. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 1995.

BLANCHETTE, Jean-François. JOHNSON, Deborah G. Data Retention and the Panoptic Society: The Social Benefits of Forgetfulness. The Information Society 18, no 1 (janeiro de 2002): 33–45. Disponível em: https://doi.org/10.1080/01972240252818216 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BLOUSTEIN, Edward J.; Privacy as an aspect of human dignity: An answer to Dean Prosser. NYUL Rev. 39. 1964. Disponível em: http://heinonline.org/hol-cgi-bin/get_pdf.cgi?handle=hein.journals/nylr39&section=71 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BODIN DE MORAES. Maria Celina. Danos à pessoa humana . Rio de Janeiro: Renovar, 2003.

BORRIS, Eileen R.; Forgiveness and the Healing of Nations, in: Parallel event of the 55th Comission on the Status of Women, Universal Peace Federation, 2011. Disponível em: http://www.upf.org/resources/speeches-and-articles/3464-eileenrborris-forgiveness-and-the-healing-of-nations [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BRADFORD, Anu, The Brussels Effect. Northwestern University Law Review, Vol. 107, No. 1, 2012; Columbia Law and Economics Working Paper No. 533. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2770634 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

BRANCO, Sérgio. Memória e esquecimento na internet. Porto Alegre: Arquipélago Editorial, 2017.

BUCAR, Daniel. Controle Temporal de Dados: o Direito ao Esquecimento. Revista Civilística, Ano 2, n. 3. jul.-set./2013. Disponível em: http://civilistica.com/wp-content/uploads/2015/02/Bucar-civilistica.com-a.2.n.3.2013.pdf . [Acesso em 24 de dezembro de 2019].

BURKERT, Herbert. Privacy-Data Protection - A German/European Perspective, in: Governance of Global Networks in the Light of Differing Local Values . ENGEL, Christoph; KELLER, Kenneth. (ed.). Baden-Baden: Nomos, 2000.

BURRI, Mira; SCHÄR, Rahel. The Reform of the EU Data Protection Framework: Outlining Key Changes and Assessing Their Fitness for a Data-Driven Economy. Journal of Information Policy 6 (2016): 479. Disponível em: https://doi.org/10.5325/jinfopoli.6.2016.0479 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

CANOTILHO. J. J. Gomes. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. 7ª Ed., Coimbra: Almedina.

CARELLO, Clarissa Pereira. Direito ao Esquecimento: parâmetros jurisprudenciais. Dissertação (Mestrado em Direito). Centro Universitário La Salle - UNILASALLE. Canoas: 2017.

CARELLO, Clarissa; CACHAPUZ, Maria Cláudia. A Doutrina do ‘Right to Be Forgotten’ pela perspectiva das relações entre privados. Revista da Ajuris: doutrina e jurisprudência, v. 43, no 140. 2016.

CARTER, Edward. L. Argentina’s Right to be Forgotten. Emory International Law Review. Vol 27, issue 1. (2013). Disponível em: http://law.emory.edu/eilr/content/volume-27/issue-1/recent-developments/argentinas-right-to-be-forgotten.html [acesso em 24 de dezembro de 2019].

CARVALHO, Volgane Oliveira. VIANA, Isabelle Ribeiro Viana. O direito ao esquecimento em tempos de superexposição de dados pessoais na internet. Revista Juris Poiesis ano 18, nº 18, jan-dez. 2015.

CAVALHO LEITE, Fabio. Liberdade de Expressão, Discursos Ofensivos Ilícitos e a Linha Imprecisa que os Separa: Dificuldades e Desafios. In: LEITE, Glauco Salomão et al (orgs.) 30 Anos da Constituição Brasileira: balanço crítico e desafios à (re) constitucionalização. Rio de Janeiro: Ed. Lumen Juris, 2018.

CDYT. Belgica: Derecho al Olvido Sobre un Artículo Publicado en Diário Online. Revista Latinoamericana de Protección de Datos Personales. 3. Número Especial. Derecho al olvido en Internet. Buenos Aires: CDYT, 2016. p. 493-502.

CDYT. España. Sentencia del Tribunal Supremo Español de 15 de Octubre de 2015. Decisión de Segunda Instancia. Revista Latinoamericana de Protección de Datos Personales. 3. Número Especial. Derecho al olvido en Internet. Buenos Aires: CDYT, 2016.

CNJ. Jurisprudência Da Corte Interamericana De Direitos Humanos. Volume 1: Direito à Vida, Anistias e Direito à Verdade. Brasília: Ministério da Justiça, 2014.

COALIZÃO DIREITOS NA REDE. O Brasil precisa de uma Lei de Proteção de Dados Pessoais! Carta ao Senado pela imediata aprovação do PLC 53/2018. 25 de junho de 2018. Disponível em: https://medium.com/direitos-na-rede/pela-imediata-aprovacao-do-plc53-18-e50072b37713 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

COMERLATO, Marília Bachi. A efetividade do direito ao esquecimento. In: Congresso brasileiro da sociedade da informação regulação da mídia na sociedade da informação, 2014, São Paulo. Anal. São Paulo: Congresso Brasileiro da Sociedade da Informação, 2014. v. 7, p. 111-120.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação história dos direitos humanos. 8ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

CONLEY, Chris. The Right do Delete. In: AAAI Spring Symposium Series, mar. 2010. EUA. Anais Eletrônicos. Palo Alto, CA, EUA, 2010. pp. 53-58. Disponível em: http:www.aaai.org/ocs/index.php/SSS/SSS10/paper/view/1158/1482 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

COOLEY, Thomas M. The Elements of Torts. Chicago: Callaghan and Company. 1895. Versão digitalizada disponível em: http://repository.law.umich.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1010&context=books [acesso em 24 de dezembro de 2019].

CONSALTER, Zilda Mara. Direito ao esquecimento: proteção da intimidade e ambiente virtual. Curitiba: Juruá, 2017.

CORDEIRO, Carlos José; PAULA NETO, Joaquim José. A concretização de um novo direito da personalidade: o direito ao esquecimento. Civilistica.com. Rio de Janeiro, a. 4, n. 2, 2015. Disponível em: http://civilistica.com/a-concretizacao-de-um-novo-direito-da-personalidade/ [acesso em 24 de dezembro de 2019].

COSTA JR., Paulo José. O direito de estar só: tutela penal da intimidade . 1ª Ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1970.

COSTA, José Augusto Fontoura; MINIUCI, Geraldo. Não adianta nem tentar esquecer: um estudo sobre o direito ao esquecimento. Revista Brasileira de Políticas Públicas 7, no 3 (6 de fevereiro de 2018). Disponível em: https://doi.org/10.5102/rbpp.v7i3.4964 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

CUIJPERS, Colette; PURTOVA, Nadezhda; KOSTA, Eleni. Data Protection Reform and the Internet: The Draft Data Protection Regulation. Forthcoming in SAVIN, A.; TRZASKOWSKI, J., (eds) Research Handbook on EU Internet Law (Edward Elgar 2014); Tilburg Law School Research Paper No. 03/2014. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2373683 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

DALLARI, Dalmo de Abreu. O habeas data no sistema jurídico brasileiro. Revista da Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo 97, nº 0 (1o de janeiro de 2002): 239–53. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67544 [acesso em 24 de dezembro de 2019].

DARNTON, Robert. A Questão dos Livros: Passado, Presente e Futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

DE CUPIS. Adriano. Os Direitos da Personalidade. 2ª Ed. São Paulo: Quorum, 2008.

DE HERT, Paul; GUTWIRTH, Serge. Data Protection in the Case Law of Strasbourg and Luxemburg: Constitutionalisation in Action. In: GUTWIRTH, Serge et al [orgs]. Reinventing Data Protection? Dordrecht: Springer Netherlands, 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-1-4020-9498-9 . [acesso em 24 de dezembro de 2019]

DE TERWANGNE, Cécile. Internet Privacy and the Right to Be Forgotten/Right to Oblivion. In VII Congreso Internacional Internet, Derecho y Política. Neutralidad de La Red y Otros Retos Para El Futuro de Internet,[Monografía Online], IDP, Revista de Internet, Derecho y Política, UOC, 109–121, 2012. Disponível em: http://www.crid.be/pdf/public/7064.pdf [acesso em 24 de dezembro de 2019].

DODGE, Martin; KITCHIN, Rob. Kitchin. Outlines of a World Coming into Existence: Pervasive Computing and the Ethics of Forgetting. ...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
22 de Janeiro de 2022
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1201075314/referencias-bibliograficas-direito-ao-esquecimento-ed-2020