Presunções Judiciais - Ed. 2020

Bibliografia

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ABBOUD, Georges. Jurisdição constitucional e direitos fundamentais. São Paulo: RT, 2011.

______. Discricionariedade administrativa e judicial. São Paulo: RT 2014.

______. Processo constitucional brasileiro, 2ª ed. São Paulo: RT, 2018.

ACCATINO, Daniela. “La arquitectura de la motivación de las premisas fácticas de las sentencias judiciales”. Hechos, evidencia y estándares de prueba. Bogotá: Andrés Páez, 2015.

ADORNO, Theodor. “Observações sobre o pensamento filosófico”. In: ______. Palavras e sinais – modelos críticos II. Petrópolis: Vozes, 1995.

AGUIAR, João Carlos Pestana de. Comentários ao código de processo civil, vol. 4. São Paulo: RT, 1977.

ALLEN, Ronald J; PARDO, Michael. “The problematic value of mathematical modes of evidence”. The Journal of Legal Studies, Vol. 36, No. 1 (January 2007), pp. 107-140.

ALLEN, Ronald. STEIN, Alex. “Evidence, probability, and the burden of proof”. Arizona Law Review, vol. 55, 2013, pp. 557/602.

ALLORIO, Enrico. “Osservazione sul fato notório”. Rivista di diritto processuale civile, n. 2. Padova: CEDAM, 1934.

ALMEIDA Jr, Jesualdo Eduardo. “Um réquiem à busca da verdade no processo civil”. Revista Magister de direito civil e processual civil, n. 23. Porto Alegre: Magister, mar-abr/2008.

ALVIM NETTO, José Manoel de Arruda. Coisa julgada: extensão e limites objetivos. In: Soluções práticas de direito, vol. IV. São Paulo: RT, 2011.

ALVIM, Teresa Arruda. Recurso especial, recurso extraordinário e ação rescisória. São Paulo: RT, 2008.

AMAYA, Amalia. Reasoning about facts in law: essays in coherence, evidence, and proof. Tese de doutoramento apresentada à Harvard Law School, sob orientação do prof. Frederick Schauer, em maio/2007.

______. “Coherence, evidence, and legal proof”. Legal Theory, 19, 1-43, 2013, p. 19.

ANDERSON, Alan R; BELNAP, Nuel D. “Enthymemes”. The Journal of Philosophy, Vol. 58, (Nov. 9, 1961), pp. “713-723.

ANDRADE, Osvaldo Lucas. Número e fenômeno – impossibilidade e necessidade de certeza no processo probatório. In: ZAGANELLI, Margareth Vetis (coord.). Processo, verdade e justiça – estudos sobre a prova judicial. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009.

ANDREWS, Neil. Principles of civil procedure. London: Sweet &amp. Maxwell, 1994.

ANDRIOLI, Virgilio. Studi sulle prove civili. Milano: Giuffrè, 2008.

ARAGÃO, Egas Dirceu Moniz de. “Direito à prova”. Revista de Processo, v. 39. São Paulo: RT, jul/1985.

ARENHART, Sérgio Cruz. “Reflexões sobre o princípio da demanda”. In: FUX, Luiz (coord.). Processo e Constituição: estudos em homenagem a José Carlos Barbosa Moreira. São Paulo: RT, 2006.

AROCA, Juan Montero. Prueba y proceso civil. San José: IJSA, 2013.

ARRUDA ALVIM, José Manoel de. Manual de direito processual civil, 16ª ed. São Paulo: RT, 2016.

ATAÍDE Jr, Vicente de Paula. “A interpretação das decisões judiciais”. In: VASCONCELOS, Fernando Andreonio; ALBERTO, Tiago Gagliano Pinto (org). O dever de fundamentação no novo CPC. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2015.

AUNE, Bruce. “Haack’s Evidence and Inquiry”. Philosophy and Phenomenological Research, Vol. 56, No. 3 (Sep. 1996), pp. 627-632.

ÁVILA, Humberto Bergmann. Teoria da igualdade tributária, 3ª ed. São Paulo: Malheiros, 2015.

BADARÓ, Gustavo Henrique Righi Ivahy. Ônus da prova no processo penal. São Paulo: RT, 2013.

BAPTISTA, Bernardo Barreto. Saneamento e Organização do Processo: a evolução histórica e o CPC de 2015. Dissertação de mestrado defendida na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Orientador: Antonio do Passo Cabral, 2017.

BARON, Jane. “Law, Literature, and the Problems of Interdisciplinarity”. The Yale Law Journal, Vol. 108, No. 5 (Mar. 1999), pp. 1059-1085.

BAUER, Fritz. “O papel ativo do juiz”. Revista de processo, vol. 27. São Paulo: RT, jul-set/1982.

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

BECKER, Alfredo Augusto. Teoria geral do direito tributário, 4ª ed. São Paulo: Noeses, 2007.

BEDAQUE, José Roberto dos Santos. Poderes instrutórios do juiz, 7ª ed. São Paulo: RT, 2013.

BELTRÁN, Jordi Ferrer. Prueba y verdad en el derecho, 2ª ed. Madrid: Marcial Pons, 2005.

______. La valoración racional de la prueba. Madrid: Marcial Pons, 2007.

BENTHAM, Jeremy. The Rationale of Judicial Evidence, specially applied to English practice. Stockbridge: Hardpress, 2018.

BERGMAN, Barbara E; HOLLANDER, Nancy. Wharton’s criminal evidence, 15ª ed. Eagan: Thomson-West, 1997.

BERGSON, Henri. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Abril, 1979.

BERTEN, André. Modernidade e desencantamento: Nietzsche, Weber e Foucault. São Paulo: Saraiva, 2011.

BETTIOL, Giuseppe. Instituiciones de derecho penal y procesal. Barcelona: Bosch, 1973.

BEX, Florix. “Analysing stories using schemes”. In: KAPTEIN, Hendrik. PRAKKEN, Henry; VERHEIJ, Bart (orgs.). Legal evidence and proof: statistics, stories, logic. Burlington: Ashgate, 2009.

BLEICHER, Josef. Hermenêutica contemporânea. Lisboa: Edições 70, 1992.

BOBBIO, Norberto. O positivismo jurídico. São Paulo: Ícone, 1995.

BONILHA, Paulo Celso. Da prova no processo administrativo tributário. São Paulo: Dialética, 1997.

BORGES, Ronaldo Souza. A prova pela presunção na formação do convencimento judicial. Belo Horizonte: D’Placido, 2016.

BOUDON, Raymond. O justo e o verdadeiro. Lisboa: Piaget, 1998.

BRESOLIN, Keberson. Gadamer e a reabilitação dos preconceitos. Intuitio, vol. 1. Porto Alegre: PUC/RS, jun-2008, p. 63/81.

BREWER, Scott. “Exemplary reasoning: semantics, pragmatics, and the rational force of legal argument by analogy”. Harvard law review, n. 109, 1995-1996, pp. 922/1.028.

______. “Traversing Holmes’s Path toward a jurisprudence of logical form”. BURTON, Steven (ed.). The path of the law and its influence: the legay of Oliver Wendell Holmes. Cambridge: Cambridge University Press, 2000, p. 94/123.

______. “Logocratic method and the analysis of arguments in evidence”. Law, Probability and Risk (2011) 10, 175−202.

BROUN, Kenneth S. McCormick on evidence, 7th ed. St. Paul: West, 2014.

BROWN, W. M. “The economy of Peirce’s abduction”. Transactions of the Charles S. Peirce Society, vol. 19. Bloomington: Indiana University Press, 1983, pp. 397/411.

BUENO, Cassio Scarpinella. Curso Sistematizado de Direito Processual Civil. Procedimento comum: ordinário e sumário. São Paulo: Editora Saraiva, 2007.

______. Curso sistematizado de direito processual civil, vol. 2, t. 1, 8ª ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

BUZAID, Alfredo. Do ônus da prova. Justitia, vol. 40. São Paulo, jan-mar/1963.

CABRAL, Antonio do Passo. O contraditório como dever e a boa-fé processual objetiva. Revista de Processo, vol. 126. São Paulo: RT, ago/2005, p. 59.

______. Imparcialidade e Impartialidade. Por uma Teoria Sobre Repartição e Incompatibilidade de Funções nos Processos Civil e Penal. Revista de Processo, v. 149, jul. 2007.

______. Convenções processuais. Salvador: JusPodivm, 2016.

CABRITA, Helena. A fundamentação de facto e de direito da decisão cível. Coimbra: Coimbra Editora, 2015.

CADEMARTORI, Luiz Henrique Urquhart. Hermenêutica e argumentação neoconstitucional. São Paulo: Atlas, 2009.

CAENEGEM, Raoul C. Van. Uma introdução histórica ao Direito Privado. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

CALAMANDREI, Piero. Per la definizione di fatto notorio. Rivista di diritto processuale civile, n. 2. Padova: Cedam 1935.

______. “Il giudice e lo storico”. Rivista di diritto processuale, vol. XVII. Padova: CEDAM, 1939, pp. 105/128.

_____. “Verità e verossimiglianza nel processo civile”. Rivista di dirtto processuale, n. 10. Padova: CEDAM, 1955.

______. Derecho procesal civil, vol. II. Buenos Aires: EuropaAmerica, 1962.

______. Instituições de direito processual civil, vol. III Campinas: Bookseller, 2003.

CÂMARA, Alexandre Freitas. O novo processo civil brasileiro. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2016.

CÂMARA LEAL, Antonio Luiz da. Manual elementar de direito civil. São Paulo: Saraiva, 1930.

CAMBI, Eduardo. A prova civil: admissibilidade e relevância. São Paulo: RT, 2006.

______. Neoconstitucionalismo e neoprocessualismo. São Paulo: RT, 2009.

CAMUS, Albert. O estrangeiro, 26ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2005.

CANOTILHO, José Joaquim. “O ónus da prova na jurisdição das liberdades”. In: ______. Estudos sobre direitos fundamentais. São Paulo: RT, 2008.

CANTO, Gilberto Ulhôa. “Presunções no direito tributário”. Cadernos de pesquisas tributárias, vol. 9. São Paulo: resenha tributária, 1983.

CAPPELLETTI, Mauro. La testimonianza della parte nel sistema dell’oralità, parte I. Milano: Giuffrè, 1974.

CARDOZO, Benjamin. The nature of the judicial process. New Haven: Yale University Press, 1921.

CARNACINI, Tito. “Tutela giurisdizionale e tecnica del processo”. In: Studi in onore di Enrico Redenti, vol. II. Milano: Giuffrè, 1951.

CARNELLI, Lorenzo. O fato notório. Rio de Janeiro: J. Konfino, 1957.

CARNELUTTI, Francesco. Lezioni di diritto processuale civile, vol. II. Padova: Cedam, 1933.

______. Sistema de derecho procesal civil, vol. II. Buenos Aires: UTEHA, 1944.

______. La prova civile. Roma: Ateneo, 1947.

______. Diritto e processo. Napoli: Morano, 1958.

______. Lições sobre o direito penal, t. 1. Campinas: Bookseller, 2004.

______. A arte do direito. São Paulo: Pillares, 2007.

CARRATA, Antonio. “Funzione dimostrativa della prova: verità del fatto nel processo e sistema probatorio”. Rivista di diritto processuale, v. 56. Padova: CEDAM, jan-mar/2001, p. 73.

CARRAZZA, Roque Antonio. Curso de direito constitucional tributário, 18ª ed. São Paulo: Malheiros, 2002.

CARREIRA ALVIM, José Eduardo. Teoria geral do processo, 19ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2016.

CARVALHO, Nathália Gonçalves de Macedo. Admissibilidade de Provas: os limites ao indeferimento da produção da prova cível. Dissertação de mestrado defendida na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2017.

CARVALHO, Salo de. “Criminologia e transdisciplinariedade”. In: Gauer, Ruth (coord.). Sistema penal e violência. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

CASTRO, Daniel Penteado de. Poderes instrutórios do juiz no processo civil: fundamentos, interpretação e dinâmica. São Paulo: Saraiva, 2013.

CAVALLONE, Bruno. “In difesa della veriphobia: considerazioni amichevolmente polemiche su un libro recente di Michele Tarufo”. Rivista di diritto processuale, n. 54. Padova: CEDAM, 2010, p. 1/26.

CERINO-CANOVA, Augusto. “La domanda giudiziale ed il suo contenuto”. In: Commentario del Codice di Procedura Civile, vol. II, t. I. Torino: Utet, 1980.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia, 2ª ed. São Paulo: Ática, 1995.

CHIOVENDA, Giuseppe. Principii di diritto processuale civile, 3ª ed. Napoli: Jovene, 1923.

______. Istituzioni di diritto processuale civile, vol. II. Napoli: Eugenio Jovene, 1936, p. 42.

______. Instituições de direito processual civil, vol. III São Paulo: Saraiva, 1965.

CHUEIRI, Vera Karam de. “The chain of Law: How is law like literature?” In: Legal philosophy: General aspects. New York: Franz Steiner Verlag.

CLERMONT, Kevin M. Standards of decision in law. Durham: Carolina Academic Press, 2013.

COLYVAN, Mark; REGAN, Helen M.;FERSON, Scott. “Is It a Crime to Belong to a Reference Class?” 9 Journal of Political Philosophy, 2001, p. 168-181.

COMOGLIO, Luigi Paolo. Le prove civile, 3ª ed. Torino: Utete, 2010.

______. FERRI, Corrado. TARUFFO, Michele. Lezioni sul processo civile, 5ª ed....

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
6 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1207548488/bibliografia-presuncoes-judiciais-ed-2020