Dos Delitos e das Penas - Ed.2013

I ACUSAÇÕES DE IMPIEDADE - RESPOSTAS ÀS “NOTAS E OBSERVAÇÕES DE UM FRADE DOMINICANO” SOBRE O LIVRO DOS DELITOS E DAS PENAS

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

I

Acusações de Impiedade

1.º – “O autor do livro Dos Delitos e das Penas desconhece a justiça que se origina no legislador eterno, que tudo vê e prevê.”

Aqui está mais ou menos o silogismo do autor nas “Notas”.

O autor do livro Dos Delitos e das Penas não concorda que a interpretação da lei esteja na dependência da vontade e do capricho do magistrado. – Quem não deseja confiar a interpretação da lei à vontade e aos caprichos do magistrado não acredita na justiça que vem de Deus. – O autor não admite, portanto, justiça puramente divina ...”.

2.º – “Segundo o autor do livro Dos Delitos e das Penas, As Santas Escrituras somente contêm imposturas.”

Em toda a obra Dos Delitos e da Penas, trata-se da Escritura Sagrada uma só vez: é quando, a propósito de erros religiosos, no capítulo XLI, afirmei que não falava desse povo eleito de Deus, em que os milagres mais evidentes e as graças mais notáveis substituíram a política humana.

3.º – “Toda gente sensata achou, no livro Dos Delitos e das Penas, um inimigo do cristianismo, um mau homem e um mau filósofo.”

Não me importa parecer ao meu crítico bom ou mau filósofo. Aqueles que me conhecem atestam que não sou um homem mau.

Serei, pois, inimigo do cristianismo quando insisto na manutenção da tranquilidade dos templos sob proteção governamental, e quando afirmo, ao falar da sorte das grandes verdades, que a Revelação é a única que manteve sua pureza, em meio às nuvens tenebrosas com que o erro envolveu o universo durante tantos séculos?

4.º – “O autor do livro Dos Delitos e das Penas fala da religião como se ela fosse simples princípio político.”

O autor do livro Dos Delitos e das Penas chama a religião de “um dom sagrado do céu”. Poder-se-ia provar que ele trata como simples princípio político o que lhe parece dom sacrossanto do céu?

5.º – “O autor é inimigo declarado do Ser supremo.”

Peço, no fundo de meu coração, que esse Ser supremo perdoe a todos os que me ofendem.

6.º – “Se o cristianismo provocou algumas desventuras e alguns morticínios, exagera-os e silencia a respeito dos benefícios e das vantagens que a luz do Evangelho disseminou por toda a humanidade.”

Em meu livro, não se achará nenhum lugar onde se apontem males provocados pelo Evangelho. Não citei um só fato sequer que se relacione com isso.

7.º – “O autor lança blasfêmia contra os ministros da religião, quando afirma que suas mãos se sujaram no sangue humano.”

Todos aqueles que escreveram a História, desde Carlos Magno até Otão,...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
6 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1212786009/i-acusacoes-de-impiedade-respostas-as-notas-e-observacoes-de-um-frade-dominicano-sobre-o-livro-dos-delitos-e-das-penas-dos-delitos-e-das-penas-ed2013