Direito Urbanístico: Plano Diretor e Direito de Propriedade - Ed. 2014

Bibliografia

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Bibliografia

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Indústria da construção. Classificação. NBR 8.950, Rio de Janeiro, 1985.

______. Mobiliário urbano. Classificação. NBR 9.283, Rio de Janeiro, 1986.

______. Equipamento urbano. Classificação. NBR 9.284, Rio de Janeiro, 1986.

______. Normas para elaboração de Plano Diretor. NBR 12.267, Rio de Janeiro, 1992.

______. Índices urbanísticos. NBR 6.505, Rio de Janeiro, 1994.

______. Conheça a ABNT. Normalização: um fator de desenvolvimento. ABNT, Rio de Janeiro, 1995.

ACIOLY, Cláudio; DAVIDSON, Forbes. Densidade urbana. Um instrumento de planejamento e gestão urbana. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

ACKEL FILHO, Diomar. Município e prática municipal (à luz da Constituição Federal de 1988). São Paulo: RT.

AGUIAR, Joaquim Castro. Competência e autonomia dos municípios na nova Constituição. Rio de Janeiro: Forense, 1993.

______. Direito da cidade. Rio de Janeiro: Renovar, 1996.

ALESSI, Renato. Principi di diritto amministrativo. 3. ed. Milano: Giuffrè, 1974. v. 1.

ALEXANDER, Ernest R. A transaction cost theory of planning. Journal of the American Planning Association, n. 2, v. 58, 1992.

ALFONSIN, Betânia; FERNANDES, Edésio (Coord.). A lei e a ilegalidade na produção do espaço urbano. Belo Horizonte: Del Rey, 2003.

ALFONSO, Luciano Parejo. Régimen urbanístico de la propiedad y responsabilidad patrimonial de la administración. Madrid: Instituto de Estudios de Administración Local, 1982.

______; ENTERRIA, Eduardo Garcia de. Lecciones de derecho urbanístico. Madrid: Civitas, v. 1.

ALIBRANDI, Tommaso et al. La nuova legge sui suoli: studi sulla disciplina dell’ attività costruttiva edilizia. ISGEA, 1978.

ALMEIDA, Fernanda Dias Menezes de. Competências na Constituição de 1988. São Paulo: Atlas, 1991.

______; MEDAUAR, Odete (Coord.). Estatuto da cidade. São Paulo: RT, 2002.

ALMEIDA, Maria Hermínia Tavares de et al. Crescimento e pobreza. 13. ed. São Paulo: Loyola, 1982.

ALMEIDA, Maria Soares de. Gestores da cidade e seus regulamentos urbanísticos. Porto Alegre de 1893 a 1959. In: LEME, Maria Cristina da Silva (Coord.) Urbanismo no Brasil: 1895 – 1965. São Paulo: Nobel, 1999.

ALOCHIO, Luiz Henrique Antunes. Do solo criado. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2005.

ALPA, Guido; BESSONE, Mario. Poteri dei privati e statuto della proprietà oggetti, situazioni soggettive, conformazione dei diritti. Padova: Cedam, 1980.

Alston, Lee J.; EGGERTSSON, Thráinn; NORTH, Douglass C. (Ed.). Empirical studies in institutional change. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

ALVES, Alaôr Caffé. Planejamento metropolitano e autonomia municipal no direito brasileiro. São Paulo: José Bushatsky, 1981.

______ et al. Loteamentos e desmembramentos urbanos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1987.

AMARAL JÚNIOR, Alberto do. Propriedade ou impropriedade? RDP 68.

AMARAL, Diogo Freitas do (Coord.). Direito do urbanismo. Comunicações apresentadas no curso realizado no Instituto Nacional de Administração. Portugal: Instituto Nacional de Administração, 1989.

AMBROSIS, Clementina de. Operações interligadas: a experiência da Prefeitura de São Paulo. Revista de Administração Municipal 36/191, Rio de Janeiro, abr.-jun. 1989.

______; MOREIRA, Mariana; AZEVEDO NETTO, Domingos Theodoro de. O Estatuto da Cidade e o CEPAM. In: MOREIRA, Mariana (Coord.). Estatuto da Cidade. São Paulo: CEPAM, 2001.

AMERICAN PLANNING ASSOCIATION (a). Planning and law division. Denver: American Planning Association, 2000. Disponível em: [www.planning-law.org/].

American Planning Association (b). Growing smart. Washington: American Planning Association, 2000. Disponível em: [www.planning.org/plnginfo/GROWSMAR/gsindex.html]

ANPUR – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. A questão urbana e regional na constituinte. I Encontro Nacional da ANPUR. Rio de Janeiro: ANPUR, 1986.

ARANTES, Otília; VAINER, Carlos; MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único. Desmanchando consensos. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

ARAÚJO, Edmir Netto de. Do negócio jurídico administrativo. São Paulo: RT, 1992.

ARON, Raymond. Dezoito lições sobre a sociedade industrial. Trad. de Sérgio Bath. Brasília: UnB/Martins Fontes, 1981.

______. As etapas do pensamento sociológico. Brasília: UnB; Martins Fontes, 1982.

ASCENSÃO, José de Oliveira. O urbanismo e o direito de propriedade. In: AMARAL, Diogo Freitas do (Coord.). Direito do urbanismo. Comunicações apresentada no curso realizado no Instituto Nacional de Administração. Oeiras/Portugal: Instituto Nacional de Administração, 1989.

ASSINI, Nicola (Org.). Manuale di diritto urbanistico. [s.l.]: Giuffrè, [s.d.].

ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE ADMINISTRADORES MUNICIPAIS. Planejamento urbano. Trad. de Maria de Lourdes Lima Modiano. Rio de Janeiro: USAID, 1964.

ATALIBA, Geraldo. A contribuição de melhoria no Código Tributário Nacional em elaboração. RDP 2.

______ (Coord.). Solo criado. RDP 87, 1988.

ATHAYDES, Lisete A. Dantas Gayer; ATHAYDES, Olmiro Gayer. Teoria e prática do parcelamento do solo urbano. São Paulo: Saraiva, 1984.

AUBY, Jean-Bernard; Périnet-MARQUET, Hugues. Droit de l’Urbanisme et de la construction. 2. ed. Paris: Montechrestien, 1989.

AZEVEDO, Eurico de Andrade. Direito urbanístico no Brasil. Revista do Serviço Público, ano 40, v. 111, n. 1, jan.-mar. 1983.

AZEVEDO NETTO, Domingos Theodoro de. Planejamento municipal e da cidade: políticas e instrumentos. A nova Constituição paulista: perspectivas. São Paulo: CEPAM, FUNDAP, 1989.

AZEVEDO, Sérgio; RIBEIRO, Luiz Cezar Queiroz (Org.). A crise da moradia nas grandes cidades: da questão da habitação à reforma urbana. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996.

BACHOF, Otto. Normas constitucionais inconstitucionais? Trad. de José Manuel M. Cardoso da Costa. Coimbra: Almedina, 1994.

BAHL, Roy W.; LINN, Johannes F. Urban public finance in developing countries. New York: World Bank; Oxford University Press, 1992.

BAIGORRI, Artemio. Del urbanismo multidisciplinario a la urbanística transdisciplinaria. Una perspectiva sociológica. Ministério de Obras Públicas, Transporte y Medio Ambiente. Ciudad y Territorio Estudios Territoriales 3/104, España, 1995.

BALTAR, Antônio Bezerra. Planos diretores para as cidades pequenas e médias do Brasil. Arquitetura. Revista do IAB, abr. 1964.

BANDEIRA DE Mello, Celso Antônio. Apontamentos sobre o poder de polícia. RDP 9, 1969.

______. Discricionariedade e controle jurisdicional. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 1993.

______. Natureza jurídica do zoneamento. RDP 61, 1982.

______. Novos aspectos da função social da propriedade no direito público. RDP 84, 1987.

BANDEIRA DE MELLO, Oswaldo Aranha. Zoneamento urbano. Critérios de interesse público na sua fixação – Posição jurídica do interesse privado do vizinho. RDP 14, 1970.

BANKS, Jeffrey S.; HANUSHEK, Eric A. (Ed.). Modern political economy: old topics, new directions. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

BARAT, Josef. Introdução do editor. Política de desenvolvimento urbano: aspectos metropolitanos e locais. Rio de Janeiro: Josef Barat; IPEA/INPES, 1976a.

______. Problemas institucionais do planejamento urbano. In: KACOWITCZ, Mateus (Org.). Desenvolvimento e política urbana. Rio de Janeiro: Ibam, 1976b.

BARATTA, Teresa Cristina; SANTOS, Alexandre Carlos de Albuquerque. O plano diretor e o governo dos municípios. Revista de Administração Municipal 37/194, jan.-mar. 1990.

BARCELLOS, Cláudia de Aguiar e UZON, Néia Correa. Novos instrumentos da política urbana: a experiência precursora do município de Porto Alegre nas operações relativas ao direito de construir. Procuradoria-Geral do município de Porto Alegre e Escola Superior de Direito Municipal. Avaliando o Estatuto da Cidade. In: II Congresso Brasileiro de Direito Urbanístico. Porto Alegre: Evangraf, 2002.

BARDACH, Eugene. The implementation game: What happens after a Bill becomes a law. Cambridge: MIT Press, 1977.

BARDET, Gaston. O urbanismo. Trad. de Flávia Cristina Nacimento. Campinas: Papirus, 1990.

BARKER, Anthony. Professionalized expertise and the politics of British planning land-use planning. In: ______; PETERS, B. Guy (Ed.). Advising West European Governments. Inquires, Expertise and Public Policy. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1993.

______; PETERS, B. Guy (Ed.). Advising West European Governments. Inquires, Expertise and Public Policy. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1993.

______. The politics of expert advice: Creating, using and manipulating scientific knowledge for public policy. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1993.

BARRIO, Javier Delgado. El control de la discrecionalidad del planeamiento urbanístico. Madrid: Civitas, 1993.

BARZEL, Yoram. Economic analysis of property rights. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

BASSUL, José Roberto. Estatuto da Cidade. Quem ganhou? Quem perdeu? Brasília: Senado Federal, 2005.

BASTOS, Celso. Estudos e pareceres. Constitucional, administrativo, municipal. São Paulo: RT, 1993.

BASTOS, Fernando. Parcelamento do solo urbano. São Paulo: Instituto Polis, 1999.

BATTY, Michael. A chronicle of scientific planning. The Anglo-American Modeling Experience. Journal of the American Planning Association, v. 60, n. 1, Winter 1994.

BEITO, David T.; GORDON, Peter; TABARROK, Alexander (editores). The Voluntary City. Choice, Community and Civil Society. Ann Arbor: University of Michigan Press, 2005.

BENEVOLO, Leonardo. A cidade e o arquiteto. Método e história na arquitetura. Trad. de Attílio Cancian. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1991.

BENTES, Dulce; MARASCHIN, Clarisse. A reforma tributária de 1988: contribuição à análise do processo de viabilização da reforma urbana. Revista de Administração Municipal, v. 37, n. 196, jul.-set. 1990.

BERNSTEIN, David E.; FOSTER, Kenneth R.; HUBER, Peter W. (Ed.). Phantom risk. Scientific inference and the law, Cambridge: MIT Press, 1999.

BIELSA, Julio César Tejedor. Um modelo urbanístico alternativo: el derecho francés. Barcelona: Cedecs, 1998.

BIELSA, Rafael. Principios de régimen municipal. 2. ed. Buenos Aires, 1940.

BISH, Robert L.; OSTROM, Vincent. Understanding urban government: metropolitan reform reconsidered. In: HOCHMAN, Harold M. (Ed.). The urban economy. An introduction to a current issue of public policy. New York: Norton & Company, 1976.

BITTAR, Carlos Alberto (Coord.). A propriedade e os direitos reais na Constituição de 1988. São Paulo: Saraiva, 1991.

BLANCO, José Martin. Dictámenes y estudios en derecho urbanístico. Madrid: Montecorvo, 1970.

BLANEY, Trevor; LEWIS, Edward. A guide to planning law. 3. ed. London: Lawrence Graham, 1997.

BNH – Banco Nacional de Habitação. Anteprojetos de Legislação Federal com referências ao processo de desenvolvimento urbano. Fundamentação e justificativas. Brasília: Ministério do Interior, 1974.

______. Anais do Seminário sobre Desenvolvimento Urbano. Brasília: BNH, 1981.

BONALUME, Cláudia et al. Equipamentos públicos: política e planejamento. Experiência no Município de Caxias do Sul. Procuradoria-Geral do Município de Porto Alegre e Escola Superior de Direito Municipal. Avaliando o Estatuto da Cidade. In: II Congresso Brasileiro de Direito Urbanístico. Porto Alegre: Evangraf, 2002.

BORJA, Jordi. As cidades e o planejamento estratégico: uma reflexão européia e latino-americana. In: FISCHER, Tânia (Org.). Gestão contemporânea: cidades estratégicas e organizações locais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

BOYER, Robert; HOLLINGSWORTH, J. Rogers (Ed.). Contemporary capitalism. The embeddedness of institutions. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

BREMAEKER, François E. J. de. As cidades brasileiras que poderão ter plano diretor. Revista de Administração Municipal, v. 36, n. 193, out.-dez. 1989.

BREMER, Michael. Sim city. User’s manual. Orinda: Maxis, 1993.

BRITTO, Carlos Ayres. Direito de propriedade (O novo e sempre velho perfil constitucional da propriedade). RDP 91, jul.-set. 1989.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Direito administrativo e políticas públicas. São Paulo: Saraiva, 2003.

BUCHANAN, James M. Positive economics, welfare economics, and political economy. Journal of Law and Economics, v. 2, October 1959.

______. The limits of liberty. Between anarchy and the leviathan. Chicago: University of Chicago Press, 1975.

______; TOLLISON, Robert D. (Ed.). The theory of public choice – II. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1984.

______; TULLOCK, Gordon. The calculus of consent. Logical foundations of constitutional democracy. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1997.

BURKI, Shahid Javed; PERRY, Guillermo E. Beyond the Washington consensus: institutions matter. Washington: World Bank, 1998.

BUSQUETS, Cristina del Pilar Pinheiro. Plano diretor, política e urbanismo. 1992. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo.

CALLIES, David L.; CURTIN, Daniel J. On the making of land use decisions through citizen initiative and referendum. Journal of the American Planning Association, Spring, 1990.

CÂMARA DEI DEPUTATI. Ricerca Sull’Urbanistica. Parte Seconda (Ordinamenti Stranieri). Servizio Studi Legislazione e Inchieste Parlamentari, Roma, 1965.

CÂMARA, Jacintho de Arruda. Plano diretor. In: DALLARI, Adilson; FERRAZ, Sérgio (Coord.). Estatuto da Cidade (Comentários à Lei Federal 10.257/2001). São Paulo: Malheiros, 2002.

CAMPANÁRIO, Milton de Abreu. O mercado de terras e a exclusão social na cidade de São Paulo. In: KRISCHKE, Paulo J. (Org.). Terra de habitação versus terra de espoliação. São Paulo: Cortez, 1984.

CAMPOS FILHO, Cândido Malta. Cidades brasileiras: seu controle ou o caos: o que os cidadãos devem fazer para a humanização das cidades no Brasil. São Paulo: Nobel, 1989.

______. Direitos humanos e urbanismo. In: FESTER, A. C. Ribeiro (Org.). Direitos humanos e..., São Paulo: Brasiliense, 1992.

______. Reinvente seu bairro. Caminhos para você participar do planejamento de sua cidade. São Paulo: Editora 34, 2003.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional. 6. ed. rev. Coimbra: Almedina, 1993.

______. Constituição dirigente e vinculação do legislador. Contributo para a compreensão das normas constitucionais programáticas. Coimbra: Ed. Coimbra, 1994.

______. Protecção do ambiente e direito de propriedade: crítica de jurisprudência ambiental. Coimbra: Ed. Coimbra, 1995.

CARDOSO, Adauto. A cidade e seu estatuto: uma avaliação urbanística do Estatuto da Cidade. In: ______; RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz (Org.). Reforma urbana e gestão democrática. Promessas e desafios do Estatuto da Cidade. Rio de Janeiro: Revan e Fase, 2003.

______; RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz. O solo criado como instrumento de reforma urbana. Revista de Administração Municipal, v. 39, n. 203, Rio de Janeiro, abr.-jun. 1992.

______. Plano diretor e gestão democrática da cidade. Revista de Administração Municipal, Rio de Janeiro, v. 37, n. 196, jul.-set. 1992.

______ (Org.). Reforma urbana e gestão democrática. Promessas e desafios do Estatuto da Cidade. Rio de Janeiro: Revan e Fase, 2003.

CARDOSO, Elizabeth Dezouzart; ZVEIBIL, Victor Zular (Org.). Gestão metropolitana: experiências e novas perspectivas. Rio de Janeiro: Ibam, 1996.

CARDOSO, Fernando Henrique et al. São Paulo, 1975: crescimento e pobreza. 13. ed. São Paulo: Loyola, 1982.

______. A democracia necessária. São Paulo: Papirus, 1985.

CARNEIRO, Ruy de Jesus Marçal. Organização da cidade: planejamento municipal, plano diretor, urbanificação. São Paulo: Max Limonard, 1998.

CARVALHO, Erasto Villa-Verde de. Parcelamento do solo. Condomínios regulares e irregulares – Urbanização. Brasília: Brasília Jurídica, 1996.

CARVALHO, Paulo César Pires; OLIVEIRA, Aluísio Pires de. Estatuto da Cidade. Curitiba: Juruá, 2002.

CASTELS, Manuel. A questão urbana. Trad. de Arlene Caetano. São Paulo: Paz e Terra, 1983.

CASTILHO, José Roberto Fernandes. O plano local no direito urbanístico brasileiro e comparado. 1997. Tese (Doutorado) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, São Paulo. Mimeografado.

______. Disciplina urbanística da propriedade: o lote e seu destino. 4. ed. São Paulo: Editora Pillares, 2013.

CASTRO, Antonio Escostegy. A cidade e o plano diretor. In: Vários autores. Política urbana. Fundação Wilson Pinheiro, [s.d.].

CASTRO, José Nilo de. Direito municipal positivo. Belo Horizonte: Del Rey, 1991.

CASTRO, Maria Cecília Lima; PIOVEZANE, Pedro de Miranelo. Operações urbanas. In: MOREIRA, Mariana (Coord.). Estatuto da Cidade. São Paulo: CEPAM, 2001a.

CEOTMA – Centro de Estudios de Ordenación del Território y Medio Ambiente. Ordenación del território: metodologias del planeamiento em el derecho comparado. Madrid: CEOTMA, 1981.

CEPAM – Fundação Prefeito Faria Lima. O solo criado. Anais do Seminário. São Paulo: CEPAM, 1976.

CHADWICK, George. Una visión sistémica del planeamiento. Trad. espanhola de Fernando Aragón. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 1978.

CHAPIN JR., F. Stuart. Urban land use planning. New York: Harper & Brothers, 1957.

CHARLES, Hubert. Les principes de l’urbanisme. Paris: Dalloz, 1993.

CHINER, Maria Jesus Montoro. La responsabilidad patrimonial de la administración por actos urbanísticos. Madrid: Montecorvo, 1983.

CHOAY, Françoise. O urbanismo. Utopias e realidades. Uma antologia. Trad. de Dafne Nascimento Rodrigues. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992.

CINTRA, Antônio Octávio. Planejando as cidades: política ou não política. In: ______; HADDAD, Paulo Roberto (Org.). Dilemas do planejamento urbana e regional no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

______. A política do planejamento urbano compreensivo: notas sobre o caso da região metropolitana de Belo Horizonte. In: DINIZ, Eli (Org.). Políticas públicas para áreas urbanas: dilemas e perspectivas. Rio de Janeiro: Zahar, 1983a.

______. The politics of comprehensive metropolitan planning. PH. D. Dissertation. MIT, 1983b. Mimeografado.

______. Zoneamento: análise política de um instrumento urbanístico. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 6, v. 3, fev. 1988.

______; HADDAD, Paulo Roberto (Org.). Dilemas do planejamento urbano e regional no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

CNDU – Conselho Nacional de Desenvolvimento Urbano. Notação gráfica para o planejamento urbano e metropolitano. Brasília: CNDU, 1979.

______. Estudo e propostas para a organização territorial e desenvolvimento urbano do Brasil. Brasília: CNDU, 1980.

COASE, R. H. The problem of social cost. The Journal of Law and Economics, v. 3, 1960.

______. The firm, the market and the law. Chicago and London: University of Chicago Press, 1990.

______. Essays on economics and economists. Chicago: University of Chicago Press, 1995.

COELHO, Luiz Fernando. A experiência brasileira em direito do planejamento. RDP 18, 1971.

COLE, G. D. H. Historia del pensamiento socialista I. Los precursores 1789 – 1850. Trad. de Rubén Landa. México: Fondo de Cultura Económica, 1975.

COLLADO, Pedro Escribano. La propiedad privada urbana (encuadramiento y régimen). Madrid: Montecorvo, 1979.

COMPARATO, Fábio Konder. Função social da propriedade dos bens de produção. Revista de Direito Mercantil 63, São Paulo: RT, 1986.

______. Muda Brasil: uma Constituição para o desenvolvimento democrático. 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

______. Para viver a democracia. São Paulo: Brasiliense, 1989.

COMPTON’S INTERACTIVE ENCYCLOPEDIA. Urban planning. Compton’s NewMedia, 1994.

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL (CNBB). Solo urbano e ação pastoral. São Paulo: Paulinas, 1982.

CONFERENCIA DE NACIONES UNIDAS SOBRE LOS ASENTAMIENTOS HUMANOS. Declaración de Vancouver. Vancouver: ONU, 1976.

CONGRESSO REVISOR (relatoria). Parecer n. 69 – Política urbana. Brasília: Senado Federal, 1994.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO. Resolução n. 48, de 27 de abril de 1976. (Fixa os mínimos de conteúdo e de duração do curso de graduação em Engenharia e define suas áreas de habilitações.)

______. Resolução n. 50, de 9 de setembro de 1976. (Fixa normas para caracterização de habilitações do curso de Engenharia.)

COOTER, Robert; ULEN, Thomas. Derecho y economia. Trad. de Eduardo L. Suárez. México: Fondo de Cultura Económica, 1998.

CORDEIRO, António. A protecção de terceiros em face de decisões urbanísticas. Coimbra: Almedina, 1995.

CORDEIRO, Diva Narcisa. IPTU – Progressividade. RDP 96, 1990.

CORKINDALE, John. Fifty years of the town and country planning acts. Time to privatise land development rights? Institute of Economic Affairs, Studies on the Environment n. 11, London, 1997. Disponível em: [www.iea.org.uk/wpapers/planning.pdf].

CORREIA, Fernando Alves. As grandes linhas da recente reforma do direito do urbanismo português. Coimbra: Almedina, 1993.

______. O plano urbanístico e o princípio da igualdade. Coimbra: Almedina, 1989.

______. Manual de direito do urbanismo. Coimbra: Almedina, 2001. v. 1.

CORREIA, Paulo V. D. et al. Normas urbanísticas. Princípios e conceitos fundamentais. Lisboa: Universidade Técnica de Lisboa, 1990.

COSTA, Carlos Magno Miqueri. Direito Urbanístico Comparado. Planejamento Urbano. Das Constituições aos Tribunais Luso-Brasileiros. Curitiba: Juruá, 2009.

CRECINE, John P.; DAVIS, Otto; JACKSON, John E. Urban property markets: some empirical results and their implications for municipal zoning. Journal of Law and Economics, v. 10, October 1967.

CRETELLA JÚNIOR, J. Direito municipal. São Paulo: LEUD, 1975.

______. Direito administrativo municipal. Rio de Janeiro: Forense, 1981.

______. Filosofia do direito administrativo. Rio de Janeiro: Forense, 1999.

CULLINGWORTH, J. Barry. Alternate planning systems. Is there anything to learn from abroad? Journal of the American Planning Association, Chicago IL, v. 60, n. 2, Spring 1994.

______. Planning in the USA. Policies, issues and processes. London and New York: Routledge, 1997.

______; NADIN, Vincent. Town & country planning in britain. 11. ed. New York: Routledge, 1994.

CUSTÓDIO, Helita Barreira. O projeto de lei do uso do solo. Revista de Direito Civil 27, 1983.

DALLARI, Adilson. Desapropriação para fins urbanísticos. Rio de Janeiro: Forense, 1981.

______; FIGUEIREDO, Lúcia Valle (Coord.). Temas de direito urbanístico. São Paulo: RT, 1987 e 1991. v. 1 e 2.

______; FERRAZ, Sérgio (Coord.) Estatuto da Cidade (Comentários à Lei Federal n. 10.257/2001). São Paulo: Malheiros, 2002.

DALLARI, Dalmo de Abreu. Legislação municipal e direito de construir. RDP 14, [s.d.].

D’ANGELO, Guido. Urbanística e diritto. [s.l.]: Morano, 1969.

DAROCA, Eva Desdentado. Discrecionalidad administrativa y planeamiento urbanístico. Construcción teórica y análisis jurisprudencial. Pamplona: Aranzadi, 1997.

DEMSETZ, Harold. The exchange and enforcement of property rights. Journal of Law and Economics, v. 7, October 1964.

DERANI, Cristiane. Direito ambiental econômico. São Paulo: Max Limonad, 1997.

DIEZ, Manuel Maria. El acto administrativo. 2. ed. Buenos Aires: Tipográfica Editora Argentina, 1961.

DI LORENZO, Italo. Diritto urbanístico. Torino: Torinense, [s.d.].

DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito administrativo. São Paulo: Atlas, 1996.

DOCTORS, Samuel I.; FURROW, Barry. The private firm as urban renewal project manager. Journal of the American Institute of Planners, March 1970.

DOWNS, Anthony. An economic theory of democracy. New York: HarperCollins, 1957.

______. Inside bureaucracy. Illinois: Waveland Press, 1994.

DREITZEL, Hans-Peter et al. Tecnocracia e ideologia. Trad. de Gustavo F. Bayer. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1975.

DUGUIT, Leon. Las transformaciones generales del derecho privado desde el Código de Napoleón. 2. ed. Trad. de Carlos Posada. Madrid: Francisco Beltran, 1920.

DUNHAM, A. City planning: an analysis of the content of the master plan. Journal of Law and Economics, v. 1, 1958.

______. Property, city planning and liberty. In: STEWART, Murray (Ed.). The city: problems of planning. Middlesex: Penguin Books, 1977.

EGGERTSSON, Thráinn. Economic behavior and institutions. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

EICHLER, Edward P. Novas cidades. In: MOYNIHAN, Daniel P. (Org.). O desafio urbano. Trad. de Edilson Alkmin Cunha. São Paulo: Cultrix, [s.d.].

ELLICKSON, Robert C. Order without law. How neighbors settle disputes. Cambridge: Harvard University Press, 1991.

ELUSTIZA, Angel Sustaeta. Propiedad y urbanismo. Lo urbanístico como límite del derecho de propriedad. Madrid: Montecorvo, 1978.

ENTERRIA, Eduardo Garcia de; FERNANDEZ, Tomas-Ramon. Curso de derecho administrativo I. Madrid: Civitas, 1982.

EVANS, Alan W. “Rabbit hutches on postage stamps”: planning, development and political economy. Urban Studies, v. 28, n. 6, 1991.

FAGUNDES, M. Seabra. Aspectos jurídicos do solo criado. RDA 129, jul.-set. 1977.

FALCÃO, Joaquim de Arruda (Org.). Conflito de direito de propriedade. Invasões urbanas. Rio de Janeiro: Forense, 1984.

FARIA, Rodrigo de e SCHVARSBERG, Benny (organizadores). Políticas Urbanas e Regionais do Brasil. Brasília: FAU-UnB, 2011.

FARIA, Guimar T. Estella. Interpretação econômica do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1994.

FARIA, José Eduardo. Direito e economia na democratização brasileira. São Paulo: Malheiros, 1993.

______. O direito na economia globalizada. São Paulo: Malheiros, 1999.

FEISS, Carl. Planning absorbs zoning. Journal of the American Institute of Planners, v. 27, n. 2, May 1961.

FEREJOHN, John. Law, legislation and positive political theory. In: BANKS, Jeffrey S.; HANUSHEK, Eric A. (Ed.). Modern political economy: old topics, new directions. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

FERNANDES, Almir. Política urbana: comentários ao projeto de Constituição. Revista de Administração Municipal, v. 35, n. 188, jul.-set. 1988.

FERNANDES, Edésio. Planejamento urbano da Inglaterra: um sistema em crise? Revista de Administração Pública 28 (1), jan.-mar. 1994.

______ (Org.). Direito urbanístico. Belo Horizonte: Del Rey, 1998.

______ (Org.). Direito urbanístico e política urbana no Brasil. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

______. Do Código Civil de 1916 ao Estatuto da Cidade: algumas notas sobre a trajetória do direito urbanístico no Brasil. In: MATTOS, Liana Portilho (Org.). Estatuto da Cidade comentado. Belo Horizonte: Mandamentos, 2002.

FERNANDEZ, Antonio Canceller. El derecho y la obligación de edificar. Madrid: Montecorvo, 1965.

______. Casos práticos de derecho urbanístico. Madrid: Instituto de Estudios de Administración Local, 1970.

______. Instituciones de derecho urbanístico. Madrid: Montecorvo, 1992.

______. Introducción al derecho urbanístico. 2. ed. Madrid: Tecnos, 1993.

FERNÁNDEZ, Tomás-Ramón. Manual de derecho urbanístico. Madrid: Abella, 1986.

FERRARI, Célson. Curso de planejamento municipal integrado: urbanismo. 7. ed. São Paulo: Pioneira, 1991.

FERRAZ, Anna Cândida da Cunha. Processos informais de mudança da Constituição. São Paulo: Max Limonad, 1986.

FERRAZ, J. C. de Figueiredo. São Paulo e seu futuro: antes que seja tarde demais. 2. ed. Rio de Janeiro: Ibam, 1976.

______. Urbs nostra. São Paulo: PINI Editora, 1991.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. A reconstrução da democracia. São Paulo: Saraiva, 1979.

______. Do processo legislativo. 3. ed. atual. São Paulo: Saraiva, 1995.

______. Sete vezes democracia. São Paulo: Convívio, 1977.

FERREIRA SOBRINHO, José Wilson. Expropriação e loteamento. RDP 89, jan.-mar. 1989.

FIGUEIREDO, Guilherme José Purvin de (Org.). Temas de direito ambiental e urbanístico. São Paulo: Max Limonad, 1998.

FIGUEIREDO, Lúcia Valle. Disciplina urbanística da propriedade. São Paulo: RT, 1980.

FINGERMANN, Henrique. A extrafiscalidade como instrumento de planejamento urbano. A experiência do Município de São Paulo. 1950 – 1980. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas, 1982. Mimeografado.

Fischel, William A. A property rights approach to municipal zoning. Land Economics, 54 I, February 1978.

______. Zoning and land use regulation. Encyclopedia of Law and Economics, 1998.

FISCHER, Tânia (Org.). Gestão contemporânea. Cidades estratégicas e organizações locais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

FISCHHOFF, Baruch et al. Acceptable risk. Cambridge: Cambridge University Press, 1981.

FLUCK, Timothy Alan. Euclid v. Ambler. A retrospective. Journal of the American Planning Association, v. 52, n. 3, Summer 1986.

FORSTHOFF, Ernst. Tratado de derecho administrativo. Madrid: Instituto de Estudiois Políticos, 1958.

______. Stato di diritto in transformazione. L. Riegert e C. Amirante (Trad.). Milano: Giuffrè, 1973.

______. El Estado de la sociedad industrial. Trad. de Luis Lópes Guerra y Jaime Nicolás Muñiz. Madrid: Instituto de Estudios Políticos, 1975.

FORTI, Reginaldo (Org.). Marxismo e urbanismo capitalista. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

FRANCISCO, Caramuru Afonso. Estatuto da Cidade comentado. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2001.

FRANCISCONI, Jorge Guilherme. Noções sobre planejamento municipal integrado. Porto Alegre: CEPA, 1971.

______; SOUZA, Maria Adélia Aparecida de. Política Nacional de Desenvolvimento Urbano: estudos e proposições alternativas. Brasília: IPEA, 1976.

FRANCO SOBRINHO, Manoel de Oliveira. Desapropriação. São Paulo: Saraiva, 1989.

FREIDSON, Eliot. Renascimento do profissionalismo: teoria, profecia e política. Trad. de Celso Mauro Paciornik. São Paulo: Edusp, 1998.

FREITAS, José Carlos de. (Coord.). Temas de direito urbanístico. São Paulo: Ministério Público/Imprensa Oficial, 1999.

______. Temas de direito urbanístico 2. São Paulo: Ministério Público/Imprensa Oficial, 2000.

______. Temas de direito urbanístico 3. São Paulo: Ministério Público/Imprensa Oficial, 2001.

______. Disposições gerais. In: MATTOS, Liana Portilho (Org.). Estatuto da Cidade comentado. Belo Horizonte: Mandamentos, 2002.

FRIEDMAN, Lawrence M. The republic of choice. Law, authority and culture. Cambridge: Harvard University Press, 1994.

FRIEDMAN, Milton e Rose. Free to choose. A personal statement. New York: Harcourt Brace & Company, 1990.

FROHLICH, Norman; OPPENHEIMER, Joe A. Economia política moderna. Trad. de Ana Maria Schiavenatto e Luís de Toledo Filho. Brasília: UnB, 1982.

FUENTES, Mercedes. Urbanismo y publicidad registral. Madrid: Marcial Pons, 1995.

FUNDAÇÃO PREFEITO FARIA LIMA – CEPAM. Plano diretor do município. As diretrizes e o processo de elaboração desse importante instrumento de planejamento local abordadas e discutidas por advogados, juristas, urbanistas e técnicos do CEPAM. Revista do CEPAM, ano I, n. 2, 1989.

FURITANO, Giuseppe (Org.). Studi urbanistici. Le norme e gli strumenti di pianificazione urbanistica in Europa. Milano: Giuffrè, 1978. v. 11.

GALBINSKI, José. A função social da propriedade e os planos diretores. Boletim do Instituto de Arquitetura e Urbanismo 1, Brasília: Universidade de Brasília, 1990.

GALBRAITH, John Kenneth. O novo Estado industrial. Trad. de Leônidas Gontijo de Carvalho. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

GALLOWAY, Thomas D.; MAHAYNI, Riad G. Planning theory in retrospect: the process of paradigm change. Journal of the American Institute of Planners, v. 43, n. 1, January 1977.

GANS, Herbert J. From urbanism to policy-planning. American Institute of Planners, July 1970.

GARCIA, Maria. Desapropriação para urbanização e reurbanização. A questão da revenda. Rio de Janeiro: Forense, 1985.

GARNER, J. G. (Org.). Derecho de la planificación territorial en la Europa Occidental. Trad. de Joaquin Hernandez Orozco. Madrid: Instituto de Estudios de Administración Municipal, 1976.

GASPARINI, Diógenes. Plano diretor de desenvolvimento integrado – Competência Originária do Chefe do Poder Executivo Municipal para compatibilizá-lo a realidades emergentes. RDP 63, 1982.

______. O município e o parcelamento do solo urbano. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1988.

______. Plano diretor. Boletim de Direito Municipal, mar. 1991.

______. O Estatuto da Cidade. São Paulo: NDJ, 2002.

GELFAND, Mark I. Rexford G. Tugwell and the frustration of planning in New York City. Journal of the American Planning Association, v. 51, n. 2, Spring 1985.

GEDDES, Barbara. Politician’s dilemma. Building state capacity in Latin America. Los Angeles: University of California Press, 1995.

GEDDES, Patrick. Cidades em evolução. Trad. de Maria José Ferreira de Castilho. Campinas: Papirus, 1994.

GELLHORN, Ernest; LEVIN, Ronald M. Administrative law and process in a nutshell. St. Paul: West, 1997.

GERMANOS, Paulo André Jorge. Novos papéis do Judiciário e do Ministério Público no trato das parcerias entre setor público e setor privado. In: MOREIRA, Mariana (Coord.). Estatuto da Cidade. São Paulo: Cepam, 2001.

GIUSEPPE, Diana Di. Operações urbanas consorciadas. In: MOREIRA, Mariana (Coord.). Estatuto da Cidade. São Paulo: Cepam, 2001a.

GODSCHALK, David R. Negotiating intergovernmental development policy conflicts. Practice-Based Guidelines. Journal of the American Planning Association, v. 58, n. 3, Summer 1992.

______; KAISER, Edward. Twentieth century land use planning. A stalwart family tree. Journal of the American Planning Association, v. 61, n. 3, Summer 1995.

GOLANY, Gideon. New-town planning: principles and practice. New York: Wiley & Sons, 1976.

GOMES, Orlando. A função social da propriedade. Estudos em homenagem ao Prof. Doutor Ferrer Correia II. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1989.

GONDIM, Linda M. Modelos alternativos de planejamento e gestão urbana: tendências, possibilidades e limitações. Revista de Administração Municipal 36/191, abr.-jun. 1989.

______. Plano diretor e o município: novos tempos, novas práticas. Rio de Janeiro: Ibam, 1991.

GONZALES, Suely Franco Netto. O plano urbano no processo de planejamento. Brasília: IPDF, [s.d.].

______. Plano diretor urbano. Boletim do Instituto de Arquitetura e Urbanismo 49, Brasília: Universidade de Brasília, 1989.

GOODMAN, Robert. Después de los urbanistas. ¿Que? Trad. de Fernando Ramon. Madrid: H. Blume, 1977.

GORDILLO, Agustin. Princípios gerais de direito público. Trad. de Marco Aurélio Greco. São Paulo: RT, 1977.

GRANT, Malcolm. Encyclopedia of Planning Law and Practice. London: Sweet and Maxwell, 1993. 6. v.

GRAU, Eros Roberto. Regiões metropolitanas – Regime jurídico. São Paulo: José Bushatsky, 1974.

______. Análise, crítica e implementação da legislação metropolitana. Revista Brasileira de Estudos Políticos 40. Belo Horizonte: UFMG, 1975.

______. Aspectos jurídicos da noção de solo criado. In: CEPAM – Fundação Prefeito Faria Lima. O solo criado. Anais do Seminário. São Paulo: CEPAM, 1976.

______. Notas a respeito do direito do planejamento: uma hipótese a discutir. RDP 41-42, 1977.

______. Planejamento econômico e regra jurídica. São Paulo: RT, 1978.

______. A lei do plano. RDP 53-54, 1980.

______. Elementos de direito econômico. São Paulo: RT, 1981.

______. Regiões metropolitanas, sete anos depois. In: PESSOA, Álvaro (Coord.). Direito do urbanismo: uma visão sócio-jurídica. Rio de Janeiro: Ibam; Livros Técnicos e Científicos Editora, 1981.

______. Direito urbano. São Paulo: RT, 1983.

______. Planejamento urbano. Anais da XI Conferência Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil. São Paulo: OAB, 1986.

______. Direito, conceitos e normas jurídicas. São Paulo: RT, 1988.

______. Questões sobre o plano diretor, 1990. Mimeografado.

______. A ordem econômica na Constituição de 1988. Interpretação e crítica. São Paulo: RT, 1991.

______. O direito posto e o direito pressuposto. São Paulo: Malheiros, 1996.

______. Aspectos jurídicos da noção de solo criado. RT 504/12, São Paulo: RT.

______. Planos nacionais de desenvolvimento. Enciclopédia Saraiva de Direito, v. 58.

GRAZIA, Grazia de (Org.). Plano diretor. Instrumento de reforma urbana. Rio de Janeiro: Fase, 1990.

GRECA, Alcides. Derecho y ciencia de la administración municipal. 2. ed. Santa Fe: Imprenta de la Universidad, 1943.

GROLIER ENCYCLOPEDIA. Urban planning. Grolier Electronic Publishing, 1995.

GUERRA, Maria Magnólia Lima. Aspectos jurídicos do uso do solo. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 1981.

GUIMARAENS, Maria Etelvina B. Instrumentos de política urbana: o plano diretor de Porto Alegre e o Estatuto da Cidade. Procuradoria-Geral do Município de Porto Alegre e Escola Superior de Direito Municipal. Avaliando o Estatuto da Cidade. II Congresso Brasileiro de Direito Urbanístico. Porto Alegre: Evangraf, 2002.

GUSHIKEN, Shirley Hitomi. Planos diretores no Brasil: uma avaliação após a Constituição de 1988. 1994. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília, Brasília, Mimeografado.

GWARTNEY, James D.; STROUP, Richard L. Economics: private and public choice. 8. ed. Orlando: The Driden Press, 1997.

HAAR, Charles M. (Ed.). Law and land. Anglo – American planning practice. Cambridge: Harvard University Press; MIT Press, 1964.

HABERMAS, Jürgen. Teoria analítica da ciência e dialética. In:...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
8 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1212796901/bibliografia-direito-urbanistico-plano-diretor-e-direito-de-propriedade-ed-2014