Jurisdição Constitucional e Decisão Jurídica - Ed. 2014

Bibliografia

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

BIBLIOGRAFIA

Abboud, Georges. Jurisdição constitucional e direitos fundamentais. São Paulo: Ed. RT, 2011.

Abellán, Marina Gascón. A prova dos fatos. In: Moreira, Eduardo Ribeiro (org.). Argumentação e estado constitucional. São Paulo: Ícone, 2012.

Adorno, Sérgio. Os aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

Agra, Walber de Moura. Fraudes à Constituição: um atentado ao poder reformador. Porto Alegre: Fabris, 2000.

Aleinikoff, Alexander. Constitutional law in the age of balancing. The Yale Law Journal, vol. 96, n. 5, p. 1001, abr. 1987.

Alexy, Robert. La idea de una teoría procesal de la argumentación jurídica. In: Garzón Valdes, E. (org.). Derecho y filosofía. Barcelona/Caracas: Alfa, 2001.

_____. Problemas da teoria do discurso. Revista do Direito Brasileiro, n. 1, Brasília, UnB, 1996.

_____. Teoría de la argumentación jurídica: la teoría del discurso racional como teoría de la fundamentación jurídica. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1989.

_____. Teoria dos direitos fundamentais. Trad. Virgilio A. Silva. São Paulo: Malheiros, 2008.

_____. Los derechos fundamentales en el estado constitucional democrático. Trad. Alfonso García Figueroa. In: Carbonnell, Miguel (ed.). Constitucionalismo (s). Madrid: Trotta, 2009.

_____. In: Streck, Lenio Luiz; Trindade, André Karam (org.). Garantismo, hermenêutica e (neo) constitucionalismo: um debate com Luigi Ferrajoli. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

Alfonso, Luciano Parejo; Enterría, Eduardo García de. Estado social y administración pública: los postulados constitucionales de la reforma administrativa. Madrid: Civitas, 1983.

Almeida, J. M. Ferreira de. A justiça constitucional no quadro das funções do Estado vista à luz das espécies, conteúdo e efeitos das decisões sobre a constitucionalidade das normas jurídicas. Lisboa: Tribunal Constitucional, 1987.

Almeida, Carlos Ferreira de. Introdução ao direito comparado. 2. ed. Coimbra: Almedina, 1998.

Alves, José. Direito constitucional brasileiro. São Paulo: Bushatsky, 1973.

Ameal, João. História de Portugal. Porto: Tavares Martins, 1968.

Araújo, Antonio de; Costa, Joaquim Pedro Cardoso da. Relatório português. III Conferência da Justiça Constitucional da Ibero-América, Portugal e Espanha. Lisboa: Tribunal Constitucional, 1999 (inédito).

_____; _____. Efeitos temporais das decisões de inconstitucionalidade (Nota de jurisprudência constitucional). Lisboa, 2000 (inédito).

Araújo, Luis Alberto David de; Serrano Jr., Vidal. Curso de direito constitucional. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

Aristóteles. Rhetoric. The works of Aristotle, v. 8. Chicago: Enciclopaedia Britannica, 1990 (Col. Great Books of the Western World).

_____. Metafísica. Madrid: Gredos, 1990 (edição trilíngue por Valentin Garcia Yebra).

_____. Ética a Nicômacos. Trad. Mario da Gama Kury. Brasília: UnB, 2001.

Arnaud, André-Jean. O direito entre modernidade e globalização. Lições de filosofia do direito e do estado. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.

Arroyo, Juan Carlos Velasco. La teoría discursiva del derecho: sistema jurídico y democracia en Habermas. Madrid: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales, 2000.

Arruda Jr., Edmundo Lima de. Os caminhos da globalização: alienação e emancipação. In: _____; Ramos, Alexandre (org.). Globalização, neoliberalismo e o mundo do trabalho. Curitiba: Edibej, 1998. p. 16 e ss.

Assis, Araken de. Cumprimento da sentença. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

Atienza, Manuel. As razões do direitoTeorias da argumentação jurídica. São Paulo: Landy, 2002.

_____. Argumentación jurídica. El derecho y la justicia. Madrid: Trotta, 2000.

_____. Dos versiones del constitucionalismo. Doxa – Cuadernos de Filosofía del Derecho, n. 34, p. 88, Alicante, 2011.

_____. Teoria dos princípios: da definição à aplicação dos princípios jurídicos. 9. ed. São Paulo: Malheiros, 2009.

Bachof, Oto. Estado de direito e poder político. Boletim da Faculdade de Direito de Coimbra, vol. LVI, Coimbra, Coimbra Ed., 1996.

Badura, B. Die verfassungsrechtliche Pflicht des gesetzgebenden Parlaments zur Nachbesserung von Gesetz. Staatsorganisation and Staatsfunktion im Wandel – Festschrift für K. Eichenberger. Basel: Helbing & Lichtenhahn, 1982.

Bahia, Alexandre. Recursos extraordinários no STF e no STJ: conflito entre interesses público e privado. Curitiba: Juruá, 2009.

Baker, J. H. An introduction to English legal history. 2. ed. London: Butterworths, 1979.

Baleeiro, Aliomar. O Supremo Tribunal Federal, esse outro desconhecido. Rio de Janeiro: Forense, 1968.

_____. Constituições brasileiras. Brasília: Senado Federal, 2000. vol. 2: 1891.

_____; Lima Sobrinho, A. J. Barbosa. Constituições brasileiras. Brasília: Senado Federal/Centro de Estudos Estratégicos e Escola da Administração Fazendária, 2001. vol. V.

Ball, David T. The historical origins of judicial review, 1536-1803: the duty to resist tyranny. Lewiston: The Elwin Mellen Press, 1950.

Bandeira de Mello, Oswaldo Aranha. A teoria das constituições rígidas. São Paulo: Bushatsky, 1980.

Baracho, José Alfredo de Oliveira. Processo constitucional. Rio de Janeiro: Forense, 1984.

_____. As especificidades e os desafios democráticos do processo constitucional. In: Sampaio, José Adercio Leite; Cruz, Álvaro Ricardo de Souza (org.). Hermenêutica e jurisdição constitucional. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

Barbalho, João. Constituição Federal brasileira: comentários. Rio de Janeiro: Briguiet, 1902.

Barbi, Celso Agrícola. Supremo Tribunal Federal. Funções na Constituição Federal de 1988. RT, n. 656, São Paulo, Ed. RT, jun. 1990.

Barbosa, Rui. Escritos e discursos seletos. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997.

Barcellos, Ana Paula de. Ponderação, racionalidade e atividade jurisdicional. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

_____. A eficácia jurídica dos princípios constitucionais. O princípio da dignidade da pessoa humana. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

Barreto Lima, Martonio Mont’Alverne. Staat und Justiz in Brasilien. Zur historischen Entwicklung der Justizfunktion in Brasilien: Kolonialgerichtsbarkeit in BahiaRichterschaft im Kaiserreich und Verfassungskerichtsbarkeit in der Republik. Frankfurt am Main: Peter Lang, 1999.

_____. Idealismo e efetivação constitucional: a impossibilidade da realização da Constituição sem a política. Comunicação apresentada no encontro Cainã IV, Fortaleza, 2005 (inédito).

Barretto, Vicente de Paulo. O discurso da tolerância e a crise da ordem jurídica liberal. Anais do XIII Colóquio Internacional – IASL/AISI: Direito oficial, contracultura e semiótica do direito. São Paulo: USP, 1997.

_____. As máscaras do poder. São Leopoldo: Unisinos, 2012.

Barros, Suzana Toledo de. O princípio da proporcionalidade e o controle de constitucionalidade de leis restritivas de direitos fundamentais. Brasília: Brasília Jurídica, 2000.

Barros, Tomás de. Sumário de história de Portugal. Porto: Educação Nacional Ed., 1948.

Barroso, Luís Roberto. Interpretação e aplicação da Constituição. São Paulo: Saraiva, 1996.

_____. Agências reguladoras. Constituição, transformações do Estado e legitimidade democrática. Revista de Direito Administrativo, n. 229, p. 287, jul.-set. 2002.

_____. A doutrina brasileira da efetividade. In: Bonavides, Paulo (coord.). Constituição e democracia – Estudos em homenagem ao professor J. J. Gomes Canotilho. São Paulo: Malheiros, 2006.

_____. Novos paradigmas e categorias da interpretação constitucional. In: Fernandes, Bernardo Gonçalves (org.). Interpretação constitucional: reflexões sobre (a nova) hermenêutica. Salvador: JusPodivm, 2010.

Bastos, Aurélio Wander. Introdução à teoria do direito. Rio de Janeiro: Liber Juris, 1992.

_____. Para a compreensão de Sieyès: notas e fragmentos sobre a história da França feudal. In: Sieyès, Emmanuel Joseph. A constituinte burguesa: Quést-ce que le Tiers État? Rio de Janeiro: Liber Juris, 1986.

Bastos, Celso R.; Martins, Ives Gandra da Silva. Comentários à Constituição do Brasil. São Paulo: Saraiva, 1997. vol. IV.

Beard, Charles A. A Suprema Corte e a Constituição. Trad. Paulo Moreira da Silva. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1938.

_____; Beard, Mary R. A basic history of the United States. Philadelphia: New Home, 1944.

Béguin, Jean-Claude. Le contrôle de la constitutionnalité des lois en République Fédérale d’Allemagne. Paris: Economica, 1982.

Belaunde, Domingo García. La jurisdicción constitucional en Peru. In: _____; Segado, Francisco Fernandez (orgs.). La jurisdicción constitucional en Iberoamerica. Madrid: Dykinson, 1997.

Bello, Enzo. A cidadania no constitucionalismo latino-americano. Caxias do Sul: Educs, 2013.

Benda, Ernst; Klein, Eckard. Lehrbuch des Verfassungsprozessrechts. Heidelberg: Müller, 1991.

Beneti, Sidnei Agostinho. O processo na Suprema Corte dos Estados Unidos. O judiciário e a Constituição. São Paulo: Saraiva, 1994.

Bercovici, Gilberto. A Constituição e o papel do estado no domínio econômico. Revista da Academia Brasileira de Direito Constitucional, Curitiba, 2002

_____. Desigualdades regionais, estado e Constituição. São Paulo: Max Limonad, 2002.

_____. A constituição dirigente e a crise da teoria da constituição. São Paulo, 2003 (inédito).

_____. Constituição econômica e desenvolvimento – Uma leitura a partir da Constituição de 1988. São Paulo: Malheiros, 2005.

Berman, Harold J. Aspectos do direito americano. Trad. Janine Yvone Ramos Peres e Arlete Pastos Centurion. Rio de Janeiro: Forense, 1963.

Bermudes, Sérgio. Arguição de relevância da questão federal. Enciclopédia Saraiva do Direito. São Paulo: Saraiva, 1978. vol. 7.

Bernal Pulido, Carlos. El principio de proporcionalidad y los derechos fundamentales. Madrid: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales, 2002.

Berti, Enrico. As razões de Aristóteles. São Paulo: Loyola, 1998.

_____. Aristóteles no século XX. São Paulo: Loyola, 1997.

Binenbojm, Gustavo. A nova jurisdição constitucional brasileira. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

Bittencourt, Lucio. O controle jurisdicional da constitucionalidade das leis. Rio de Janeiro: Forense, 1949; 2. ed. 1968.

Blackburn, Simon. Verdade: um guia para os perplexos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

Bobbio, Norberto. Dicionário de política. Brasília: UnB, 1986.

_____. O futuro da democracia: uma defesa das regras do jogo. São Paulo: Paz e Terra, 1986.

Böckenförd, Ernst-Wolfgang. Los métodos de la interpretación constitucional. Inventario e crítica. Escritos sobre derechos fundamentales. Baden-Baden: Nomos, 1993.

Bogs, Harald. Die Verfassungskonforme Auslegung von GesetzenUnter besonderer Berücksichtigung der Rechtsprechung des Bundesverfassungsgerichts. Stuttgard/Berlin/Köln/Mainz: Kolhammer, 1966.

Bonavides, Paulo. Política e constituição: os caminhos da democracia. Rio de Janeiro: Forense, 1985.

_____. A constituinte e a Constituição. In: _____. Andrade, Paes de. História constitucional do Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

_____. A constituição aberta. Belo Horizonte: Del Rey, 1993.

_____. Teoria do estado. 3. ed. São Paulo: Malheiros, 1995.

_____. García-Pelayo e o estado social dos países em desenvolvimento: o caso do Brasil. Constituición y constitucionalismo hoy. Caracas: Fundación Manuel García-Pelayo, 2000.

_____. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001.

_____; Andrade, Paes de. História constitucional do Brasil. Brasília: OAB, 2002; 9. ed. 2008.

Bonfim, Edson Rocha. Recurso especial: prequestionamento, interpretação razoável, valoração jurídica da prova. Belo Horizonte: Del Rey, 1992.

Bonifácio, Francisco P. Constitucionalidad, legislación regresiva y civilidad jurídica. División de poderes e interpretación – Hacia una teoría de la praxis constitucional. Edición e prólogo Antonio Lopez Pina. Madrid: Tecnos, 1987.

Borges, Marcos Afonso. Alterações do Código de Processo Civil oriundas da Lei 9.756, de 17 de dezembro de 1998. RePro 94/7-8, São Paulo, Ed. RT, 1999.

Bourdieu, Pierre. The force of the law: toward a sociology of the juridical field. Hastings Law Journal, 38 (5), 1986, p. 814-853.

_____; Passeron, Jean Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. São Paulo: Francisco Alves, 1975.

Bouzart, Gabriel. El control constitucional – Un estudio comparativo. Fundamentos y alcances del control judicial de constitucionalidad. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1991.

Brandão, Fabrício dos Reis. Coisa julgada. São Paulo: MP, 2005.

Brandão, Paulo de Tarso. Ações constitucionais: novos direitos e acesso à justiça. Florianópolis: Habitus, 2001.

_____. Ações constitucionais: novos direitos e acesso à justiça. Florianópolis: OAB/SC, 2006.

Brito, Mário de. Sobre as decisões interpretativas do Tribunal Constitucional. Revista do RMP, 1995.

Brox, Hans. Zur Zulässigkeit der erneuten Überprüfung einer Norm durch das Bundesverfassunsgericht. Festschrift für Willi Geiger zum 65. Geburstag. Tübingen: Mohr, 1974.

Brünneck, Alexander V. Verfassungsgerichtbarkeit in den westlichen Demokratien. Baden-Baden: Nomos, 1992.

Bubner, R. Filosofia moderna alemana. Madrid: Cátedra, 1984.

Bueno, Paulo Eduardo. O crime de porte irregular de arma de fogo e a questão do bem jurídico. Revista Jurídica, São Paulo, jul. 1999.

Buzaid, Alfredo. A ação direta de declaração de inconstitucionalidade no direito brasileiro. Revista Forense, n. 179, Rio de Janeiro: Forense, 1958.

Cabral Pinto, Luzia Marques da Silva. Os limites do poder constituinte e a legitimidade material da Constituição. Coimbra: Coimbra Ed., 1994.

Cademartori, Sérgio. Estado de direito e legitimidade: uma abordagem garantista. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1999.

Calmon, Pedro. Curso de direito constitucional brasileiro. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1937.

Calmon de Passos, José Joaquim. Mandado de segurança coletivo, mandado de injunção, habeas data, constituição e processo. Rio de Janeiro: Forense, 1989.

_____. Súmula vinculante. Doutrina, n. 4, Rio de Janeiro: ID, 1997.

Câmara, Alexandre Freitas. A coisa julgada no controle direto de constitucionalidade. In: Sarmento, Daniel (org.). O controle de constitucionalidade e a Lei 9.868/99. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.

_____. Escritos de direito processual. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.

Campbell, Tom. El sentido del positivismo jurídico. Doxa – Cuadernos de Filosofía del Derecho, n. 24, p. 304, 2001.

Campilongo, Celso. Os desafios do Judiciário – Um enquadramento teórico. In: Faria, José Eduardo (org.). Direitos humanos, direitos sociais e justiça. São Paulo: Malheiros, 1998.

Canas, Vitalino. Introdução às decisões de provimento do Tribunal Constitucional. 2. ed. Lisboa: Cognitio, 1994.

Cançado Trindade, Antonio Augusto. A proteção internacional dos direitos humanos: fundamentos jurídicos e instrumentos básicos. São Paulo: Saraiva, 1991.

Canotilho, J. J. Gomes. O direito constitucional na encruzilhada do milênio: de uma disciplina dirigente a uma disciplina dirigida. Constituición y constitucionalismo hoy. Caracas: Fundación Manuel García-Pelayo, 2000. p. 217-225.

_____. Constituição dirigente e vinculação do legislador. Coimbra: Coimbra Ed., 1982.

_____. Direito constitucional. 6. ed. Coimbra: Almedina,1993.

_____. Direito constitucional e teoria da constituição. 4. ed. Coimbra: Almedina, 2001; 5. ed. 2002; 7. ed. 2005.

_____. Rever ou romper com a constituição dirigente? Defesa de um constitucionalismo moralmente reflexivo. Cadernos de Direito Constitucional e Ciência Política, n. 15, p. 7-17.

_____. In: Coutinho, Jacinto N. M. (org.). Canotilho e a constituição dirigente. Rio de Janeiro, Renovar, 2002.

_____. O estado adjetivado e a teoria da constituição. Revista da Procuradoria Geral do Estado do Rio Grande do Sul, n. 56, dez. 2002.

_____. “Brancosos” e interconstitucionalidade – Itinerários dos discursos sobre a historicidade constitucional. Coimbra: Almedina, 2006.

_____; Moreira, Vital. Fundamentos da Constituição. Coimbra: Coimbra Ed., 1991.

Capella, Juan Ramón. Fruta prohibida – Una aproximación histórico-teorética al estudio del derecho y del Estado. Madrid: Trotta, 1997.

Cappelletti, Mauro. O controle judicial de constitucionalidade das leis no direito comparado. Trad. Aroldo Plinio Gonçalves. Porto Alegre: Fabris, 1984.

_____. Juízes legisladores? Porto Alegre: Fabris, 1988.

Cardoso da Costa, José Manuel M. A justiça constitucional no quadro das funções do Estado. Justiça constitucional e espécies, conteúdo e efeitos das decisões sobre a constitucionalidade das normas. Lisboa: Tribunal Constitucional, 1987.

Carneiro, Wálber Araujo. Hermenêutica jurídica heterorreflexiva: uma teoria dialógica do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011.

Carnelutti, Francesco. Profilo dei raporti tra diritto e processo. Rivista di Diritto Processuale, vol. 35, n. 4, p. 539-550, 1960.

Carpizo, Jorge; Díaz, José Ramon Cossió; Fix-Zamudio, Héctor. La jurisdicción constitucional en México. In: Belaunde, Domingo García; Segado, Francisco Fernandez (org.). La jurisdicción constitucional en Iberoamerica. Madrid: Dykinson, 1997.

Carrilho, M. M. Prefácio. Retórica e comunicação. Porto: Asa, 1994.

Carvalho, Paulo de Barros. Curso de direito tributário. São Paulo: Saraiva, 1985.

Carvalho, Salo de. Reincidência e antecedentes criminais: abordagem crítica desde o marco garantista. Revista de Estudos Criminais, Porto Alegre: ITEC, n. 1, 2001, p. 109 e ss.

_____. Pena e garantias: uma abordagem do garantismo de Luigi Ferrajoli no Brasil. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.

Carvalho Filho, José dos Santos. Ação civil pública. 3. ed. rev., ampl. e atual. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.

_____. A evolução da jurisdição constitucional na França. Disponível em: < http://www.conjur.com.br/2013-jun-15/observatorio-constitucional-historico-perspectivas-jurisdicao-constitucional-franca #autores>. Acesso em: 17 jun. 2013.

Casalini, Brunella. Soberania popular, governo da lei e governo dos juízes nos Estados Unidos da América. In: Costa, Pietro; Zolo, Danilo (org.). O estado de direito: história, teoria e crítica. Trad. Carlo Alberto Dastoli. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

Castoriadis, Cornelius. Feito e a ser feito – As encruzilhadas do labirinto V. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

_____. A ascensão da insignificância – As encruzilhadas do labirinto IV. Lisboa, 2000.

Castro, Carlos Roberto de Siqueira. A constituição aberta e atualidades dos direitos fundamentais do homem. Rio de Janeiro: UERJ, 1995 (mimeo).

Cavel, Stanley. Conditions handsome und unhandsome: the constitution of Emersonian perfectionism. Chicago: University of Chicago Press, 1988 (The Carus Lectures).

_____. The claim of reason: Wittgenstein, skepticism, morality and tragedy. Oxford: Oxford University Press, 1979.

Celso, Afonso. Oito anos de parlamento. Brasília: Senado Federal, 1998.

Cerqueira, Marcello. A Constituição na história: origem e reforma – Da Revolução Inglesa de 1640 à crise do Leste Europeu. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2006.

Chang, Ha-Joon. Chutando a escada: a estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica. Trad. Luiz Antônio Oliveira de Araújo. São Paulo: Unesp, 2004.

Chevalier, Jacques. Le droit administratif, droit de privilège? Pouvoirs, n. 46, p. 57-70.

Chiassoni, Pierluigi. Un baluarte de la modernidad: notas defensivas sobre el constitucionalismo garantista. Doxa – Cuardernos de Filosofía del Derecho, n. 34, p. 101-120, 2011.

Cittadino, Gisele. Judicialização da política, constitucionalismo democrático e separação de poderes. In: Vianna, Luiz Werneck (org.). A democracia e os três poderes no Brasil. UFMG, IUPERJ, FAPERJ, 2002.

_____. Pluralismo – Direito e justiça distributiva. Elementos da filosofia constitucional contemporânea. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 1999.

Clève, Clèmerson M. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no direito brasileiro. São Paulo: Ed. RT, 1995.

Coelho, João Gilberto Lucas. O processo constituinte. In: Guran, Milton. O processo constituinte: 1987-1988. Brasília: UnB, 1988.

Coelho, Sacha Calmon Navarro. Da impossibilidade jurídica de ação rescisória de decisão anterior à declaração de constitucionalidade pelo STF no direito tributário. RT, CDTFP 15/2000, São Paulo: Ed. RT, 2000.

Conde, Enrique Alvarez. Curso de derecho constitucional. Madrid: Tecnos, 1996.

Cooley, Thomas M. A treatise on the constitutional limitations. New York: Little, Brown, 1878.

Corao, Carlos M. Ayala. La jurisdicción constitucional en Venezuela. In: Belaunde, Domingo García; Segado, Francisco Fernandez (org.). La jurisdicción constitucional en Iberoamerica. Madrid: Dykinson, 1997.

Corrêa, Oscar Dias. O Supremo Tribunal Federal, corte constitucional do Brasil. Rio de Janeiro: Forense, 1987.

Corwin, Edward S. The Constitution of the United States: analysis and interpretation. Washington, D.C.: U.S. Printing Office, 1953.

Costa, Edgard. Os grandes julgamentos do STF: 1892 a 1962. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1964.

Costa, Emília Viotti da. O Supremo Tribunal Federal e a construção da cidadania. 2. ed. São Paulo: Unesp, 2006.

Costa, Mário Júlio de Almeida. História do direito português. 3. ed. Coimbra: Almedina, 2000.

Cross, Rupert. Statutori interpretation. London: Butterworths, 1976.

Cueta Rúa, Julio. La ley en el mundo contemporáneo. Anuário de Filosofia Jurídica y Social, n. 6, Buenos Aires: Abeledo-Perrot, 1986.

_____. El common law. Buenos Aires: La Ley, 1957.

Cunha, Maria da Conceição Ferreira da. Constituição e crime – Uma perspectiva da criminalização e da descriminalização. Porto: Universidade Católica Portuguesa, 1995.

Dallari, Dalmo. Constituição e constituinte. São Paulo: Saraiva, 1980.

Dantas, Ivo. Constituição: teoria e prática. Rio de Janeiro: Renovar, 1994. vol. 1.

Dastur, Françoise. Heidegger e a questão do tempo. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

David, René; Jauffret-Spinosi, Camile. Les grands systèmes de droit contemporains. 9. ed. Paris: Dalloz, 1988.

_____; _____. Os grandes sistemas de direito contemporâneo. Trad....

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
7 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1212797342/bibliografia-jurisdicao-constitucional-e-decisao-juridica-ed-2014