Pronto para Partir? Reflexões Jurídico-Filosóficas Sobre a Morte - Ed. 2014

Referências bibliográficas

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Abu-Jamal, Múmia. Ao vivo do corredor da morte. Conrad, 1989.

Adissi, Jayme. Quem quer comprar um túmulo. São Paulo: Urbana, 2010

Agostinho. Confissões. São Paulo: Abril Cultural, fev.1973. (Coleção Os Pensadores, vol. 4.)

Alain, Propos II, Paris: Gallimard, 1924.

_____. Propos I, Paris: Gallimard, 1930.

Albom, Mitch. Tuesday with Morrie-An old man, a young man, and life’s greatest lesson. New York: Broadway Books, 2007.

Alighieri, Dante. Vida nova. São Paulo: Abril Cultural, jun. 1973. (Coleção Os Pensadores, vol. 8.)

Almeida, Guilherme de. Os sonetos de Guilherme de Almeida. São Paulo: Livraria Martins, 1968.

Almeida, Marco Rodrigo. Escrevo para compreender a morte. Folha de S.Paulo, 20.07.2010.

Antonino, Marco Aurélio. Meditações. Trad. Lúcia Miguel Pereira. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1957.

Arendt, Hannah. Journal de pensée. Paris: Seuil, 2005.

_____. La crise de la culture. Le concept d’histoire. Paris: Gallimard, 1973.

______. A vida do espírito. O pensar, o querer, o julgar. 4 ed. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000.

_____. Entre o passado e o futuro. Trad. Mário W. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2005.

Ariès, Philippe. The hour of our death. Trad. Helen Weaver. Nova York: Alfred A.Knopf, 1981.

_____. O homem perante a morte. 2. ed. Sintra: Publicações Europa-América, ago. 2000.

Aristóteles. Ética a Nicômaco. São Paulo: Abril Cultural, jan. 1973. (Coleção Os Pensadores.)

_____. _____. Trad. do grego de António de Castro Caeiro. São Paulo: Atlas, 2009.

Ascensão, José Oliveira. A terminalidade da vida. In: Tepedino, Gustavo; Fachin, Luiz Edson. O direito e o tempo: embates jurídicos e utopias contemporâneas – Estudos em homenagem ao Professor Ricardo Pereira Lira. Rio de Janeiro-São Paulo-Recife: Renovar, 2008.

Azevedo, Reinaldo. Que Deus é este? Veja, 24.12.2008, p. 95.

Bachelard, Gaston. La Terre et les rêveries de la volonté. Paris: José Corti, 1948.

Barbarin, Georges. O livro da morte doce – Não temer o momento da morte. São Paulo: Paulus, 1997.

Barroso, Luís Roberto (org.). A reconstrução democrática do direito público no Brasil – Livro comemorativo dos 25 anos de magistério do Professor Luís Roberto Barroso. Rio de Janeiro-São Paulo-Recife: Renovar, 2007.

Barthes, Roland. Diário de luto. Lisboa: Edições 70, 2005.

Bataille, Georges. A história do olho. Trad. Eliane Robert Moraes. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

Baudelaire, Charles Pierre. Les paradis artificiels. Paris: Gallimard, 1860.

Baudoin, Jean-Louis; Blondeau, Danielle. La ética ante la muerte y el derecho a morir. Barcelona: Herder, 1995.

Baudrillard, Jean. A transparência do mal – Ensaio sobre os fenômenos extremos. 9. ed. Campinas-SP: Papirus, 2006.

_____. Cool Memories IV – Crônicas 1996-2000. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.

_____. Da sedução. 5. ed. Campinas-SP: Papirus, 2004.

Bauman, Zygmunt. A ética é possível num mundo de consumidores? Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

______. O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

Bayard, Jean-Pierre. Sentido oculto dos ritos mortuários – Morrer é morrer? São Paulo: Paulus, 1996.

Becker, Ernest. A negação da morte – Uma abordagem psicológica sobre a finitude humana. São Paulo/Rio de Janeiro: Record, 2007.

Bindé, Jérôme. Para onde vão os valores - Debates do século XXI. Lisboa: Instituto Piaget, 2006.

Bittar, Carlos Alberto; Bittar Filho, Carlos Alberto. Tutela dos direitos da personalidade e dos direitos autorais nas atividades empresariais. 2. ed. São Paulo: RT, 2002.

Bobbio, Norberto. A era dos direitos. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

_____. Elogio da serenidade e outros escritos morais. São Paulo: Unesp, 2002.

Boff, Leonardo. Vida para além da morte. 24. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

Bombardier, Denise. Compressão do tempo e mal da alma. In: Bindé, Jérôme. Para onde vão os valores? Lisboa: Instituto Piaget, 2006.

Bomfim, Paulo. Bomfim, Paulo. A morte de Galalau.

_____. Diário do anoitecer, no prelo.

Bon, Henri. La mort et ses problèmes. Paris: PUF, 1947.

Borges, Maria Elizia. Arte funerária no Brasil (1890-1930) – Ofício de marmoristas italianos em Ribeirão Preto. São Paulo: Ed. C/Arte, 2002.

Boscov, Isabela. O sentido da vida. Veja, 05.01.2011, p. 114-115.

Bossuet, Jacques-Bénigne. Le Sermon sur la Mort. Paris: Garnier Frères, 1860.

Brown, Norman O. Vida contra morte. Petrópolis: Vozes, 1972.

Byington, Carlos Amadeu Botelho. A imaginação ativa com o morto na elaboração do luto patológico. In: Oliveira, Marcos Fleury de; Calia, Marcos H.P. (org.). Reflexões sobre a morte no Brasil. São Paulo: Paulus, 2005.

Cairo, Nilo. Guia de medicina homeopática. São Paulo: Livraria Teixeira, 1982.

Canetti, Elias. Sobre a morte. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

_____. Massa e poder. Milão: Adelphi, 1981.

Cardoso, Lúcio. Crônica da casa assassinada. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

Carelli, Gabriela. Prefiro ser Charles Darwin. Páginas Amarelas de Veja, edição 2173, ano 43, n. 28, 14.7.2010, p. 17-21.

Carnelutti, Francesco. La pena di morte nel diritto pubblico. Rivista Di Diritto Pubblico, 1931.

_____. Teoria generale del reato. Padova: Ricciardi, 1933.

Casalinuovo, Aldo. Disciplina giuridica della pena di morte. Napoli: Casa Editrice Dott. Eugenio Jovene, 1939.

Chalita, Gabriel. A ética do rei menino. Rio de Janeiro: Rocco, 2005.

_____; Melo, Fábio. Cartas entre amigos – Sobre ganhar e perder. São Paulo: Globo, 2010.

_____. Estações. São Paulo: Globo, 2011.

Chaves, Antonio. Direito à vida e ao próprio corpo. 2 ed. São Paulo: Ed. RT, 1994.

Cicero, Marco Túlio. Saber envelhecer. Trad. Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 1999.

Cioran, Emile M. Breviário de decomposição. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

Collucci, Cláudia; Schwartsman, Hélio. Brasil é o terceiro pior lugar para morrer. Folha de S.Paulo, 15.07.2010, cotidiano, C9.

Cony, Carlos Heitor. Morte no avião. Folha de S.Paulo, 17.12.2010, Caderno Ilustrada, p E.17.

Costa, Eduado Bruno da. Atitudes médicas perante o fim da vida. Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, Actas do III Seminário: Ética da vida. Lisboa, 1996.

Costa, Jurandir Freire. Os que vencem após a morte. Folha de S.Paulo, 22.09.2002, Caderno Mais, p. 9.

Critchley, Simon. The book of dead philosophers. Londres: Granta’s, 2008.

Cutait, Raul. Morte digna. Folha de S.Paulo, 07.12.2003, p. A4.

Delruelle, Edouard. Metamorfoses do sujeito – A ética filosófica de Sócrates a Foucault. Lisboa: Instituto Piaget, 2009.

Derrida, Jacques. The gift of death. Chicago, 1995.

Didion, Joan. O ano do pensamento mágico. Trad. Paulo Andrade Lemos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

Dimenstein, Gilberto. Como morrer mais cedo em São Paulo. Folha de S.Paulo, 09.03.2008, p. C11.

Diniz, Débora; Lionço, Tatiana. Direito à morte, direito ao luto. Boletim IBCCrim, ano 16, n. 197, abr. 2009.

Diniz, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro. Teoria geral do direito civil. 20. ed. São Paulo: Saraiva, 2003. vol. 1.

Dostoiévski, Fiódor. Recordação da casa dos mortos. Trad. Nicolau S. Peticov. São Paulo: Nova Alexandria, 2009.

Duran, Marcos. A morte e a ciência. In: Trasferetti, José (org.). Morte: qual seu significado? entre a medicina, a filosofia e a teologia. Campinas-SP: Alínea Ed., 2007.

Eagleton, Terry. O Problema dos desconhecidos – Um estudo de ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

Eça, Antonio José. O aborto. In: Martins, Ives Gandra da Silva (coord.). Direito fundamental à vida. São Paulo: Quartier Latin, 2005.

Edwards, Jonathan. Sinners in the hands of an angry God. Jonathan Edwards: basic writings. Edição de Ola Elizabeth Winslow. Nova York: New American Library, 1966.

Eliot, T.S. Journey of the magi. Collected Poems 1909-1935. Nova Iorque: Harcourt, Brace and Company, Inc, 1958.

Epicuro. Antologia de textos. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Coleção Os pensadores.)

Fachin, Luiz Edson. Teoria crítica do direito civil. Rio de Janeiro-São Paulo: Renovar, 2003.

_____; Tepedino, Gustavo (coord.). O direito e o tempo: embates jurídicos e utopias contemporâneasEstudos em homenagem ao Professor Ricardo Pereira Lira. Rio de Janeiro-São Paulo-Recife: Renovar, 2008.

Ferreira, Evandro Affonso. Minha mãe se matou sem dizer adeus. São Paulo: Record, 2010.

Ferreira Gullar. Morrer não dói. Folha de S.Paulo, 16.08.2009, p. E14.

Ferry, Luc. Aprender a viver – Filosofia para os novos tempos. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.

________. O que é uma vida bem sucedida? Rio de Janeiro: Difel, 2008.

Figueiredo, Mônica. Estrela cor-de-rosa. Rio de Janeiro: Globo, 2001.

Foenkino, David. As lembranças. Rio de Janeiro: Rocco, 2012.

Fonseca, Ana Cláudia. O poder do perdão. Veja edição 2175, ano 43, n. 30, 28.07.2010, p. 129.

Forte, Bruno. A essência do cristianismo. Petrópolis: Vozes, 2003.

Fouillée, Alfred. Extraits des grands philosophes. 5. ed. Paris: Librairie Ch. Delagrave, [s/d].

Franco, Clarissa de. A cara da morte – Os sepultadores, o imaginário fúnebre e o universo onírico. Aparecida-SP: Idéias & Letras, 2010.

Freeman, Laurence. Perder para encontrar – A experiência transformadora da meditação. Petrópolis: Vozes, 2008.

Freitag, Bárbara; Rouanet, Sérgio Paulo. Habermas. São Paulo: Ática, 1980.

Freud, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. 11. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1974. vol. 14.

_____. A nossa atitude diante da morte. Escritos sobre a guerra e a morte. Trad. Artur Morão. Disponível em: [www.lusofia.net]. Acesso em: 07.02.2011.

Gambini, Roberto. A morte como companheira. In: Oliveira, Marcos Fleury de; Calia, Marcos H.P. (org.). Reflexões sobre a morte no Brasil. São Paulo: Paulus, 2005.

Garland, David. Professor de Direito e Sociologia na Universidade de Nova York, Mitos e meias-verdades sobre a pena de morte. The Washington Post. Trad. Terezinha Martinho, O Estado de S.Paulo, 31.07.2010, p. A18.

Giddens, Anthony. A Constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Gogliano, Daisy. O direito ao transplante de órgãos e tecidos humanos. Tese (Doutorado). São Paulo: Fadusp, 1986.

Gonçalves Dias, Antônio. Gonçalves Dias na Amazônia – Relatórios e diário da viagem ao Rio Negro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2002. (Coleção Austregésilo de Athayde.)

Gondim, Rita de Cássia (trad.) et al. 501 must-see movies. São Paulo: Larousse, 2009.

Grateloup, Léon-Louis. Dicionário filosófico de citações. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Habermas, Jürgen. Entre naturalismo e religião. Tempo Brasileiro, 2007.

Hayes, Steven. Não fuja da dor. Entrevista concedida a Ruth Costas. Páginas Amarelas,Veja, 01.03.2006.

Herzog, Edgar. Psyche and death. Nova Iorque: C.G.Jung Foundation, 1967.

Hilst, Hilda. Cantares perda e predileção. 2. ed. São Paulo: Globo, 2004.

_____. Cascos & carícias & outras crônicas (1992-1995). 2. ed. São Paulo: Globo, 2007.

_____. Poemas aos homens do nosso tempo. Júbilo, memória, noviciado da paixão. 2. ed. São Paulo: Globo, 2001.

Hobbes, Thomas. Leviatã. Oxford: J.A.Gaskin, Oxford World Classics, 1999.

Holanda, Francisco Buarque de. Leite derramado. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

Hormet, Paul. Como curar o medo de viver. São Paulo: Unitas, 1935.

Hopkins, Gerard Manley. The poems of Gerard Manley Hopkins. Oxford: Oxford University Press, 1967.

Huxley, Aldous. A filosofia perene – Uma interpretação dos grandes místicos do oriente e do ocidente. São Paulo: Globo, 2010.

Ianelli, Mariana. Treva alvorada. São Paulo: Iluminuras, 2010.

Incontri, Dora; Santos, Franklin Santana (org.). A arte de morrer – Visões plurais. São Paulo: Comenius, 2008.

Jabor, Arnaldo. Em primeira mão: o “sentido da vida”. O Estado de S.Paulo, 20.07.2010, Caderno 2, p. D8.

Jankélévitch, Vladimir. Curso de filosofia moral. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

Joas, Hans. A sacralidade da pessoa - Nova genealogia dos direitos humanos, São Paulo: Editora Unesp, 2012.

Joyce, James. Ulisses. Trad. Bernardina da Silveira Pinheiro. São Paulo: Alfaguara, 2002.

Jung, Carl. Gustav. Mysterium coniunctionis. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1988.

_____. Memórias, sonhos, reflexões. 9. ed. São Paulo: Nova Fronteira, 1987.

Kahn, Charles H. A arte e o pensamento de heráclito. Uma edição dos fragmentos com tradução e comentário. São Paulo: Paulus, 2009.

Kenny, Anthony. Uma nova história...

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
8 de Dezembro de 2021
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1212797954/referencias-bibliograficas-pronto-para-partir-reflexoes-juridico-filosoficas-sobre-a-morte-ed-2014