Mediação e Conciliação - Ed. 2018

Mediação e Conciliação - Ed. 2018

Mediação Escolar: Panorama de Uma Cultura de Paz

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Valéria Pereira Couto Hoefler

Advogada e Enfermeira.

Mestranda. Instrutora do CNJ. Mediadora e conciliadora judicial do TJSP (Resolução 125/2010). Enfermeira supervisora. Supervisora de estágio ESMP. Mediadora e conciliadora TJF. Mediadora privada e extrajudicial. Capacitação em mediação escolar, mediação trabalhista, mediação comunitária, mediação em saúde. Mediadora método transformativo (NUIPE). Capacitação em justiça restaurativa e em justiça terapêutica. Plantonista CRATOD/SP. Facilitadora de técnica de autoconhecimento, comunicação e liderança (programa de formação da cidadania). Facilitadora de sistema de gestão da qualidade. Pós-Graduada em Família e Sucessões e em Direito do Trabalho. Assistente judiciária (capacitação em perícia judicial/saúde). Especialização em UTI. Residência em Saúde – HCFMUSP.

vhoefler_adv@yahoo.com.br

7.1.Introdução

O tema proposto para este texto parte do objetivo de introduzir um panorama da dinâmica dos métodos de resolução pacífica de conflitos, em específico a mediação no âmbito escolar. A proposta é apontar características principais que permeiam esse processo distinto, inclinado para as múltiplas interações que se estabelecem entre os sujeitos que o compõem. Hoje, a situação tem caráter relevante por múltiplas condições, como a globalização, a universalização da sociedade da informação, as transformações sociais, socioeconômicas, atitudinais, crenças, valores, identidade de gênero, territorial, dinâmica familiar em transformação, fase humana evolutiva e outros.

Esse conjunto de relações constitui-se como condição indispensável à associação humana, e, nesse sentido, a interação está sujeita a encontros e desencontros, maneiras pelas quais os indivíduos manifestam seu querer, seus gostos, suas vontades e seus interesses, e que, em determinadas circunstâncias, contrapõem-se com as formas dos outros, havendo então desencontros, enfrentamentos, confusões, desavenças, desacordos e conflitos.

O conflito e a violência estão, cada vez mais, presentes nas escolas, manifestando-se de várias formas. Também, refletem os conflitos já existentes na sociedade, e podem ser fontes de aprendizado na construção de um mundo mais justo. E a atuação interativa na relação pode, de forma eficaz, consensual, solidária, dialógica e assertiva, fazer-se através da mediação. Para Maldonado, 1 o bom conflito é uma ideia estranha para muitos. No entanto, é possível considerar o conflito até mesmo como necessário para o convívio saudável entre grupos sociais, pois oferece oportunidades de encontrar vias construtivas e impulsionadoras para equilibrar a satisfação das necessidades dos envolvidos.

O ambiente escolar é complexo e possui natureza desigual. Os indivíduos convivem com pensamentos e percepções diferentes, o que ocasiona conflitos das mais diversas ordens e situações. Convivem nesse ambiente o conflito interpessoal e o intrapessoal, que se reporta às dúvidas internas individuais que alguém sente ao ter de fazer escolhas, enquanto aquele surge entre as pessoas, geralmente pelo fato das diferenças individuais e devido a competições desmedidas e destrutivas. Para Cahali, 2 a mediação escolar tem o objetivo de preservar a integridade física, moral e psicológica dos alunos, diante de conflitos corriqueiros, porém por vezes complexos e extremamente nocivos, que rotineiramente ocorrem em escolas.

As escolas hoje têm dificuldade para se adaptar ao ambiente tão heterogêneo que se tornou. Devido à massificação da educação, aumentou a quantidade de estudantes, cada um com seu perfil individualizado, e consequentemente tornou-se mais difícil saber lidar com o diferente. O sistema educacional contemporâneo não ajuda a mudar esse cenário. As escolas se preocupam mais com o aperfeiçoamento tecnológico do que com a emoção e a subjetividade dos atores desse ambiente, não havendo espaço para efetiva fala, em que há a interação entre dois ou mais indivíduos.

Ademais, Cahali 3 diz que a mediação pretende melhorar a qualidade da convivência entre todos os envolvidos nesse contexto: alunos, pais, professores, gestores e funcionários. Também, acrescenta, sendo a escola um espaço de diferenças, com potenciais conflitos em diversos setores, a integração e o comprometimento da comunidade escolar com o projeto educacional são de extrema importância.

7.2.Breve descrição da mediação

A mediação é uma ação contínua, dinâmica e estruturada que se vincula aos sistemas cooperativos de solução de conflitos através do uso de técnicas de comunicação e negociação assistida …

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
10 de Agosto de 2022
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1279971503/mediacao-escolar-panorama-de-uma-cultura-de-paz-mediacao-e-conciliacao-ed-2018