Controle da Atividade do Árbitro - Ed. 2015

2.1 O controle interno da atividade do árbitro - Capítulo II – Os órgãos responsáveis pelo controle da atividade do árbitro

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

2.1 O controle interno da atividade do árbitro

É correto e adequado que o exercício da arbitragem seja, antes de mais nada, controlado pelo próprio árbitro. Como antecipado, a arbitragem é jurisdicional, estando seu microssistema inserido no macrossistema do Processo. 6 - 7 Deve a arbitragem, assim, observar os preceitos e ditames norteadores das atividades adjudicatórias, dentre os quais estão o da efetividade, 8 instrumentalidade, 9 e razoável duração. 10

Partindo-se disso, não seria correto afastar do árbitro a função de controlar vícios no curso da arbitragem para, uma vez concluída, seu resultado vir a ser invalidado mediante mecanismos de controle externo. Permitir o desenvolvimento e a conclusão da atividade do árbitro …

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
19 de Maio de 2022
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1302634887/21-o-controle-interno-da-atividade-do-arbitro-capitulo-ii-os-orgaos-responsaveis-pelo-controle-da-atividade-do-arbitro-controle-da-atividade-do-arbitro-ed-2015