Registros Públicos Sob Curadoria de Alberto Gentil de Almeida Pedroso

Registros Públicos Sob Curadoria de Alberto Gentil de Almeida Pedroso

Registros Públicos Sob Curadoria de Alberto Gentil de Almeida Pedroso

Registros Públicos Sob Curadoria de Alberto Gentil de Almeida Pedroso

5 - Disciplina das retificações de matrículas – Parte IV

5 - Disciplina das retificações de matrículas – Parte IV

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Disciplina das retificações de matrículas – PARTE IV

Autor: Cezar Eduardo Machado

Curador: Alberto Gentil de Almeida Pedroso

Doutorando em Direito na Universidade Nove de Julho (Uninove). Especialista em Direito Civil e Mestre em Direito. Recebeu menção honrosa acadêmica no CONPEDI XXII. Professor da Escola Paulista da Magistratura (EPM) nos cursos de pós-graduação em Direito Civil, Direito Processual Civil e Registros Públicos. Professor e Coordenador do Curso Registrando com Gentil – CP IURIS em Direito Notarial e Registral. Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Juiz Assessor da Corregedoria-Geral da Justiça nos biênios 2012-2013 (gestão do Des. José Renato Nalini), 2014-2015 (Des. Hamilton Akel), 2016-2017 (Des. Manoel Pereira Calças) e 2020-2021 (Des. Ricardo Anafe). Juiz de Direito Titular da 8ª Vara Cível da Comarca de Santo André/SP. Juiz Corregedor Permanente dos Registros de Imóveis da Comarca de Santo André/SP. Autor de diversas obras jurídicas especializadas em Registros Públicos, notadamente da coleção Direito Imobiliário da Editora Thomson Reuters Revista dos Tribunais.

RESUMO

O objetivo deste trabalho final de conclusão do 4º Curso de Pós-Graduação Lato Sensu – Especialização em Direito Notarial e Registral é abordar o tema das Retificações de Matrículas de imóveis urbanos e rurais em cenário atual, conforme disciplina da Lei de Registros Publicos atualmente vigente, bem como da legislação esparsa e doutrina aplicável à espécie. Dessa forma, foi abordada nesse trabalho toda a evolução histórica do direito registrário brasileiro, desde a instituição da política de ocupação das terras da colônia portuguesa, com a concessão das Cartas de Sesmarias aos donatários e os principais acontecimentos de fato e de direito, para criação dos títulos de propriedade e suas descrições altamente especializadas, conforme se verifica nos dias atuais. Essa abordagem foi realizada enfrentando cada um dos princípios que regem a matéria registral no sistema brasileiro e estabelecendo conceitos técnicos e classificações. A hipótese de “erro evidente”, prevista na legislação anterior como única forma de retificação admitida pelo sistema foi, também, abordada, de forma que a origem restrita da retificação administrativa ficou clara. Abordamos, também, as hipóteses e procedimentos à disposição dos oficiais de registros e dos interessados para retificação unilateral das matrículas e para a retificação bilateral, com suas minúcias pra garantir a preservação do direito de terceiros. O procedimento judicial para retificação de matrícula ou o administrativo para apuração de remanescente também foram abordados. Por fim, fizeram parte do estudo os conceitos estabelecidos pelas normas e doutrina acerca dos imóveis rurais, as particularidades que devem ser estabelecidas diante da caracterização de um imóvel como de natureza rural e o georreferenciamento dos vértices de suas coordenadas exigidos desde a reforma estabelecida pela Lei n.º 10.267/2001. Dessa forma, acreditamos que o tema das retificações de matrículas foi amplamente analisado, sempre destacando a importância que o tema merece como instrumento de contribuição para a especialização dos imóveis, sua precisa descrição e, por consequência, a segurança jurídica que é objetivo do sistema.

Palavras-Chave: Registo de Imóveis. Matrícula. Retificação. Especialidade.

9. IMÓVEL RURAL

Assim como para outros ramos do direito agrário e tributário, a conceituação de imóvel rural é de imperativa necessidade para o Direito Notarial e Registral.

Isso porque, dependendo do conceito estabelecido e de sua caracterização, são atraídos regramentos específicos não aplicados, obrigatoriamente, para os imóveis urbanos.

A começar pela aquisição de imóveis rurais por estrangeiros, hipótese em que se deverão aplicar as regras previstas na Lei 5.709/1971.

Para o Direito Registral, se o imóvel for caracterizado como rural, deveremos seguir, automaticamente, os comandos inseridos nesse sentido na Lei 6.015/73, com as alterações promovidas pela Lei 10.267/2001.

Ocorre que a lei de regência para o Direito Registral ( LRP), não trouxe uma definição própria para imóvel rural.

Desta forma, devemos buscar na legislação esparsa vigente as definições existentes para as áreas rurais para, com auxílio da doutrina e da jurisprudência, estabelecer um conceito. A norma que primeiro definiu imóvel rural no direito brasileiro foi o Estatuto da Terra (Lei 4.504/64), que em seu artigo , inciso I, definiu como “Imóvel Rural” o prédio rústico, de área contínua, qualquer que seja a sua localização, que se destine à exploração extrativa agrícola, pecuária ou agro-industrial, quer através de planos públicos de valorização, quer através de iniciativa privada.

Com essa definição, extraímos o critério de destinação do imóvel, ou seja, a exploração que se faça sobre ele, como determinante para caracterização de sua natureza (rural ou urbana).

O Decreto 59.428/1966, que regulamentou o Estatuto da Terra, reforçou em seu artigo 93 o mesmo critério da destinação, pois inseriu na redação do dispositivo que, se destinando ao quanto previsto no art. , inc. I, do Estatuto da Terra, esse imóvel …

Uma experiência inovadora de pesquisa jurídica em doutrina, a um clique e em um só lugar.

No Jusbrasil Doutrina você acessa o acervo da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa, dentro de cada obra.

  • 3 acessos grátis às seções de obras.
  • Busca por conteúdo dentro das obras.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
1 de Julho de 2022
Disponível em: https://thomsonreuters.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/1509186002/5-disciplina-das-retificacoes-de-matriculas-parte-iv-registros-publicos-sob-curadoria-de-alberto-gentil-de-almeida-pedroso